Europa

Reino Unido indignado porque a Irlanda do Norte é vista como um "país diferente". Entenda

Abalada por três décadas de conflito entre unionistas protestantes e republicanos católicos que deixaram 3.500 mortos, a Irlanda do Norte vive desde 1998 uma paz frágil ameaçada pelo Brexit

AFP
AFP
Publicado em 13/06/2021 às 14:48
Notícia
JUSTIN TALLIS/AFP
Johnson reclamou que a nova regulamentação vai impedir o embarque de salsichas da ilha da Grã-Bretanha para a Irlanda do Norte a partir de julho - FOTO: JUSTIN TALLIS/AFP
Leitura:

O que aconteceria se os britânicos considerassem a Catalunha ou outras regiões europeias como "países diferentes" daqueles a que pertencem ?, disse o ministro das Relações Exteriores, Dominic Raab, neste domingo(13), indignado com os comentários do presidente francês sobre a Irlanda do Norte.

A suposta unidade entre as grandes economias na cúpula do G7 esbarrou no desentendimento entre Londres e seus ex-parceiros europeus sobre os novos controles aduaneiros impostos pelo acordo do Brexit sobre produtos que chegam à região britânica vindos do resto do Reino Unido.

Após reuniões bilaterais no sábado com o presidente francês Emmanuel Macron, a chanceler alemã Angela Merkel e os líderes europeus Ursula von der Leyen e Charles Michel, o primeiro-ministro Boris Johnson disse que não hesitaria em suspender a implementação do acordo se a UE não se mostrasse flexível.

De acordo com o The Times e o Daily Telegraph, ele ficou furioso após seu encontro com Macron.

Johnson reclamou que a nova regulamentação vai impedir o embarque de salsichas da ilha da Grã-Bretanha para a Irlanda do Norte a partir de julho, perguntando como ele reagiria se fosse entre Toulouse e Paris.

Segundo esses jornais, o presidente francês rejeitou a comparação afirmando que as duas cidades francesas "fazem parte do mesmo país".

Fontes próximas ao presidente francês confirmaram a conversa "tensa", garantindo que ele utilizou o termo "território" e não "país".

No domingo, o chefe da diplomacia britânica, Dominic Raab, reagiu com indignação, observando que esses comentários "têm efeitos concretos nas comunidades".

“Dá para imaginar que falamos da Catalunha, da parte flamenca da Bélgica, do norte da Itália, da Córsega francesa como países diferentes? Precisamos de um pouco de respeito e também, francamente, de uma apreciação da situação na Irlanda do Norte”, afirmou à Sky News.

Abalada por três décadas de conflito entre unionistas protestantes e republicanos católicos que deixaram 3.500 mortos, a Irlanda do Norte vive desde 1998 uma paz frágil ameaçada pelo Brexit.

Para evitar o restabelecimento de uma fronteira com a vizinha República da Irlanda, inaceitável para os republicanos da Irlanda do Norte, Londres e Bruxelas concordaram em deixar a região dentro do mercado único europeu e da união aduaneira.

Mas isso está dificultando o comércio com o resto do Reino Unido e enfurecendo os unionistas, que se consideram isolados de seu país.

Comentários

Últimas notícias