ATAQUES TERRORISTAS

11 de Setembro, Torres Gêmeas, Osama bin Laden, Al Qaeda. Entenda 20 anos depois o ataque terrorista ao World Trade Center

Há 10 anos, a reportagem do JC percorreu os 6.745 quilômetros que separam Recife de Nova Iorque e contou a história de 11 nordestinos que viveram os atentados do 11 de setembro no olho do furacão

JC
JC
Publicado em 10/09/2021 às 22:04
Notícia
ARTE/JC
Especial do JC foi publicado em 2011 - FOTO: ARTE/JC
Leitura:

Há 20 anos, aviões desviados pela Al-Qaeda, grupo terrorista liderado por Osama bin Laden, atingiram o World Trade Center de Nova Iorque, que eram os prédios conhecidos como Torres Gêmeas, e o Pentágono, em Washington. Os atentados mais mortais da história, no dia 11 de setembro de 2001, provocaram a morte de 2.996 pessoas, incluindo os 19 extremistas, e deixaram marcas na população norte-americana. Brasileiros que migraram para os Estados Unidos em busca do "sonho americano" também sofreram um grande golpe. Há 10 anos, a reportagem do JC percorreu os 6.745 quilômetros que separam Recife de Nova Iorque, rodou por outras cinco cidades do país, e contou a história de 11 nordestinos que viveram os atentados do 11 de setembro no olho do furacão.

A viagem rendeu um renomado especial, de 24 páginas, escrito pelo jornalista Wagner Sarmento e ilustrado pelas imagens do fotógrafo Rodrigo Lôbo. A edição do projeto foi da jornalista Fabiane Cavalcanti, então editora de Brasil/Internacional, sob a supervisão editorial do jornalista Ivanildo Sampaio, então Diretor de Redação.

Ivanildo relembra que todo esforço feito para a produção do material valeu a pena. "Amadurecemos o projeto, reduzimos alguns gastos daqui e dali, mandamos repórter e fotógrafo para os Estados Unidos, que no dia 11 de setembro de 2011 estavam em Nova Iorque, no mesmo local onde as Torres Gêmeas eram apenas uma triste lembrança e produzimos um belo material jornalístico. Testemunhas oculares da tragédia deram depoimentos para o JC, muitas delas ainda se comoviam com as lembranças do terror", diz.

"Hoje, 20 anos depois, talvez alguma daquelas pessoas que foram entrevistadas por nós também já tenham se ido - mas a cobertura que fizemos vai ficar nos anais da história como exemplo do bom jornalismo que se praticava", se orgulha o jornalista.

Histórias contadas com sotaque nordestino

Em 2011, o especial contou a história do ataque do ataque às Torres Gêmeas pela perspectiva de imigrantes nordestinos, que conviveram com o terror de perto.

Consuelo Jaqueira estava no World Trade Center e viveu o drama de dentro. Clélia O’Connell viu três pacientes vítimas dos atentados se suicidarem em pleno tratamento. Fátima Reyes perdeu o emprego após o turismo cair a zero. Rosinete Alcântara era mais uma imigrante ilegal cansada de se esconder. O negro Francisco da Silva venceu o preconceito.

Confira o especial completo abaixo:

11 de setembro: os atentados mais mortais da história

AFP

Em 11 de setembro de 2001, em menos de duas horas, as torres do World Trade Center foram reduzidas a uma montanha de poeira e aço incandescente, o Pentágono foi destruído e quase 3.000 pessoas perderam a vida.

Os atentados foram executados por 19 terroristas do grupo Al Qaeda, que desviaram quatro aviões comerciais para jogá-los contra símbolos econômicos, militares e políticos dos Estados Unidos.

Duas aeronaves colidiram com as torres gêmeas em Nova Iorque e uma terceira com o Pentágono, sede do Departamento de Defesa, perto da capital Washington DC.

Um quarto avião possivelmente visava o Capitólio, sede do Congresso, ou a Casa Branca, mas após a intervenção de seus passageiros caiu em uma área rural de Shanksville, na Pensilvânia.

Relembre a sequência de fatos no 11 de setembro:

08h46 - O primeiro avião

O voo 11 da American Airlines, um Boeing 767 que viajava de Boston para Los Angeles com 92 pessoas a bordo - incluindo cinco jihadistas - se choca a 790 km/h contra a torre norte do World Trade Center (WTC), abrindo um enorme buraco nos andares superiores do edifício, que ficam em chamas. Uma espessa coluna de fumaça sobe dos andares superiores do arranha-céu.

09h03 - Ataque contra a segunda torre

O voo 175 da United Airlines, também um Boeing 767 que decolou de Boston com destino a Los Angeles, com 65 pessoas a bordo - entre eles cinco jihadistas -, colide contra os andares superiores da torre sul a 950 km/h e gera uma enorme explosão.

09h05 - Bush é informado

O então presidente George W. Bush começa a ler uma história para crianças em uma escola do ensino fundamental em Sarasota, Flórida, quando seu chefe de gabinete sussurra em seu ouvido: "Um segundo avião atingiu a outra torre. Os Estados Unidos estão sob ataque."

09h25 - O espaço aéreo é fechado

A Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) proíbe a decolagem de qualquer aeronave em território nacional.

09h30 - O presidente fala

Na escola da Flórida, Bush anuncia que deve retornar a Washington imediatamente por causa de "um aparente ataque terrorista".

09h37 - Ataque ao Pentágono

O voo 77 da American Airlines, com 64 passageiros, que havia saído do aeroporto Washington-Dulles, na Virgínia, em direção a São Francisco, se choca contra a fachada oeste do Pentágono após ser sequestrado por cinco jihadistas.

09h42 - Pouso de aeronaves

A FAA ordena que todos os voos comerciais que sobrevoam os Estados Unidos pousem o mais rápido possível.

09h59 - A torre sul desaba

A torre sul do WTC desmorona em 10 segundos, em meio a uma chuva de fogo, aço e poeira. O impacto foi tão grande que os vestígios de DNA de centenas de vítimas jamais foram encontrados.

10h03 - Cai um avião na Pensilvânia

O voo 93 da United Airlines, que viajava de Newark a São Francisco, cai em Shanksville, Pensilvânia, com 44 pessoas a bordo, incluindo quatro jihadistas. Alguns passageiros, informados por celular do que estava acontecendo em Nova Iorque, lutaram contra os terroristas e os impediram de colidir o avião com o Congresso, o Pentágono ou a Casa Branca, em Washington.

10h28 - A torre norte desaba

A torre norte do WTC colapsa 102 minutos após ser atacada. Uma imensa nuvem de poeira cobre todo o sul de Manhattan.

13h04 - O presidente é evacuado

George W. Bush, evacuado para a base aérea de Barksdale, na Louisiana, coloca as forças armadas em "estado de alerta máximo" e promete "perseguir e punir os covardes responsáveis" pelos atentados. O presidente é então transportado para a base aérea de Offutt, em Nebraska, antes de retornar à Casa Branca às 19h.

20h30 - Discurso presidencial

Bush se dirige aos americanos do Salão Oval da Casa Branca e denuncia "atos terroristas desprezíveis e perversos". Ele promete encontrar os responsáveis e garante que Washington "não fará distinção entre os terroristas que cometeram esses atos e aqueles que os abrigam".

Comentários

Últimas notícias