dose de reforço

Agência Europeia de Medicamentos insiste que europeus se vacinem para evitar 'quarta onda' de covid-19

Diante do crescente número de casos em crianças, a agência planeja decidir na próxima semana se aprova a vacina Pfizer-BioNTech para crianças de 5 a 11 anos

AFP
AFP
Publicado em 18/11/2021 às 19:26
Notícia
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
A Áustria tem uma das taxas de vacinação mais baixas da Europa Ocidental - FOTO: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Leitura:

A Europa deve "fechar a lacuna" entre vacinados e não vacinados contra covid-19 para impedir uma temida quarta onda, anunciou nesta quinta-feira (18) a Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

"Estamos vendo um número excessivo de casos... Especialmente entre os não vacinados", disse Marco Cavaleri, diretor de estratégia da EMA, em entrevista coletiva.

As taxas de vacinação em alguns países europeus são "inaceitavelmente baixas", disse Cavaleri. "Temos que fechar essa lacuna e trabalhar para que o maior número possível de pessoas sejam vacinadas", acrescentou.

Vários países tomaram ou estão considerando tomar medidas visando os não vacinados. A Áustria, por exemplo, impôs um bloqueio àqueles que não receberam a vacina.

Esforços também estão sendo feitos para estimular a vacinação e na busca de novos tratamentos.

Diante do crescente número de casos em crianças, a EMA planeja decidir na próxima semana se aprova a vacina Pfizer-BioNTech para crianças de 5 a 11 anos.

Além disso, "em vista da situação crítica em muitos estados membros", o regulador estudará a nova pílula contra o coronavírus da Pfizer, que mostra resultados preliminares "promissores", disse.

A revisão completa para a autorização do medicamento está prevista para começar na próxima semana, um processo que pode levar vários meses.

A pílula da gigante farmacêutica Merck, por sua vez, pode ser aprovada até o final do ano.

 

 

 

 

 

Últimas notícias