operação contra terrorismo

Biden anuncia morte de chefe do EI em batalha durante ofensiva dos EUA

Um funcionário de alto escalão do governo americano disse que o líder do EI morreu durante a operação, ao detonar uma bomba que levava junto com ele

AFP
Cadastrado por
AFP
Publicado em 03/02/2022 às 11:39
CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
A declaração de Biden foi a mais contundente até agora sobre o futuro do novo gasoduto - FOTO: CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
Leitura:

O presidente Joe Biden anunciou nesta quinta-feira (3) que o líder do grupo Estado Islâmico (EI), Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurashi, morreu durante uma incursão das forças militares americanas na Síria.

"Durante a noite, sob minha direção, as forças militares dos Estados Unidos no noroeste da Síria executaram com sucesso uma operação de contraterrorismo para proteger o povo americano e nossos aliados, e e tornar o mundo um local mais seguro", afirmou Biden em um comunicado.

Um funcionário de alto escalão do governo americano disse que o líder do EI morreu durante a operação, ao detonar uma bomba que levava junto com ele.

A bomba detonada por Qurashi também matou integrantes de sua família, incluindo mulheres e crianças.

Os soldados americanos estão sãos e salvos, afirmou o presidente, que deve discursar à nação nas próximas horas.

"Graças à habilidade e à coragem das nossas Forças Armadas, tiramos do campo de batalha Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurashi, líder do ISIS (acrônimo do Estado Islâmico em inglês)", afirmou Biden no comunicado.

A operação, com a participação das forças curdas, aconteceu na região de Idlib, onde o antecessor de Qurashi, Abu Bakr al-Baghdadi, foi assassinado em uma operação similar em 2019.

Qurashi, também conhecido como Amir Mohammed Said Abd al-Rahman al-Mawla, substituiu Baghdadi depois de sua morte em uma operação em outubro de 2019.

Últimas notícias