REINO

Festa da rainha Elizabeth II: tudo grandioso e um bilhão de telespectadores; confira os detalhes

Para iniciar os festejos, mais de 1.500 militares, 400 músicos e 250 cavalos desfilaram nesta quinta-feira (2) pelo centro de Londres

Lucas Moraes
Cadastrado por
Lucas Moraes
Publicado em 02/06/2022 às 22:37 | Atualizado em 03/06/2022 às 1:22
DANIEL LEAL / AFP
A rainha Elizabeth II e o filho príncipe Charles - FOTO: DANIEL LEAL / AFP
Leitura:

Da AFP

Com mais de 200.000 eventos planejados, milhões de participantes e um bilhão de telespectadores, os britânicos se preparam para celebrar, com grande pompa, de quinta-feira a domingo, os 70 anos de reinado de Elizabeth II.

Mais de 1.500 militares

Para iniciar os festejos, mais de 1.500 militares, 400 músicos e 250 cavalos desfilaram nesta quinta-feira (2) pelo centro de Londres, entre o Palácio de Buckingham e a praça da Horse Guards Parade, para o tradicional "Trooping the Colour", ou "Desfile do Estandarte", que marca anualmente o aniversário oficial da soberana.

O desfile foi cancelado em 2020 e em 2021, devido à pandemia da covid-19.

70 aviões 

Setenta aviões da Força Aérea, incluindo a patrulha acrobática Red Arrows, sobrevoarão o Palácio de Buckingham durante seis minutos, na quinta-feira, para encerrar o desfile militar, ao mesmo tempo em que os principais integrantes da família real aparecerão na sacada.

O número exato de aeronaves dependerá da meteorologia e dos possíveis compromissos operacionais, informou o Ministério britânico da Defesa.

124 tiros

Ao meio-dia de quinta-feira, foram disparadas salvas de canhão em Londres e em todo Reino Unido, assim como a partir dos navios da Marinha real em alto-mar.

Como a celebração oficial de aniversário de Elizabeth II - nascida em 21 de abril - coincide com a de sua coroação em 2 de junho de 1953, uma salva dupla de 124 tiros de canhão será disparada da Torre de Londres. Outros 82 serão disparados do Hyde Park, perto do Palácio de Buckingham.

2.800 iluminações

Mais de 2.800 sinalizadores serão acesos na noite desta quinta-feira em todo Reino Unido, assim como nas ilhas do Canal da Mancha, na ilha de Man e nos territórios britânicos de ultramar.

Homenagens similares acontecerão nas 54 capitais da Commonwealth - de Tonga e Samoa, no Pacífico Sul, a Belize, no Caribe. As pontes sobre o rio Tâmisa em Londres serão iluminadas, assim como a emblemática Torre BT da capital e várias catedrais da Inglaterra.

16,5 toneladas

Na sexta-feira (3), acontecerá uma missa de ação de graças na catedral de St. Paul de Londres, cujo grande sino, o maior do país, com 16,5 toneladas, será tocado em um ato muito raro.

5.000 "trabalhadores essenciais"

No sábado, quase 22.000 pessoas - incluindo 5.000 trabalhadores de setores "essenciais" durante a pandemia - estão convidados para um grande show diante do Palácio de Buckingham organizado pela emissora pública de rádio e televisão BBC.

Entre os principais nomes do evento estão Adam Lambert, a estrela americana Diana Ross, Alicia Keys, Nile Rodgers e o tenor italiano Andrea Bocelli.

10.000 artistas, 1 bilhão de espectadores 

No domingo, outro grande desfile prestará homenagem à monarca e à diversidade do povo britânico. Reunirá 10.000 artistas e voluntários.

Contando todas as formas de transmissão no mundo, o espetáculo deve ser assistido por um bilhão de pessoas, segundo os organizadores.

Piqueniques

Quase 200.000 atos estão previstos localmente, de exibições a festas de rua e, sobretudo, dezenas de milhares de refeições festivas ao ar livre que devem reunir 10 milhões de pessoas.

Entre os participantes, estarão membros da família real, como o príncipe Charles e sua esposa, Camilla, que devem comparecer ao estádio de críquete The Oval, no sul de Londres.

Um dos almoços, na cidade de Windsor, onde fica o castelo em que a rainha mora atualmente, tentará bater o recorde mundial de mesa mais longa.

Também estão previstos mais de 600 almoços em países da Commonwealth e em outros locais do mundo, como Canadá, Brasil e Nova Zelândia.

Comentários

Últimas notícias