ARTIGO

Nunca tivemos uma OAB Pernambuco tão plural e participativa

"A advocacia pernambucana respira ares de mais inclusão, lança sementes de mais integridade, e se ainda não construímos a instituição dos sonhos, esta é, sem dúvida, uma gestão que está deixando a OAB/PE um espaço onde cada advogada e advogado encontra mais pluralidade e cidadania". Leio o artigo de Bruno Baptista

Bruno Baptista
Bruno Baptista
Publicado em 07/06/2021 às 6:11
Notícia
JORGE GREGÓRIO/DIVULGAÇÃO
Sede da OAB em Pernambuco, no Centro do Recife - FOTO: JORGE GREGÓRIO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Conta-nos a história que a construção de Brasília nasceu em um comício, em 1955, em Jataí (GO). O então candidato à Presidência Juscelino Kubitschek apresentava o seu plano de metas (o famoso "50 anos em 5"), quando uma pessoa da plateia indagou se ele faria cumprir o artigo da Constituição que previa a instalação da capital no Planalto Central. Daquela pergunta surgiu Brasília, a meta-síntese do Plano de Metas de JK, concretizada em menos de 6 anos.

Em 2018, quando estávamos em campanha para a Presidência da OAB Pernambuco, mesmo em disputa em chapa única, decidimos trabalhar também com uma meta-síntese, ao estilo JK. Colhemos sugestões e propostas para efetivá-las durante a gestão e, entre tantos diálogos, tive uma conversa com uma jovem advogada que muito me marcou. Ela se disse satisfeita com os serviços da OAB/PE, mas ansiava ter uma participação mais direta na instituição. Disse que era preciso "baixar ainda mais os muros da entidade". Ao ouvir isso, veio o estalo: eis a minha meta-síntese - não só baixar, mas derrubar os muros.

E assim procedemos. Primeiro quando abrimos a participação nas comissões temáticas da OAB-PE à advocacia, inicialmente por meio de todos que se dispusessem a fazer uma solicitação e, posteriormente, por meio de uma chamada pública. Tinha consciência de que isso iria gerar resistências, especialmente de quem está fora da gestão e busca a instituição para promoção pessoal, por entenderem que isso deve ser "para poucos". Mas tenho a plena convicção de que a OAB se faz muito maior e melhor com a participação destes milhares de voluntários.

Foi na nossa gestão que instituímos a Tribuna Livre e o comitê de representatividade. Também nela, com o decisivo apoio da bancada pernambucana no Conselho Federal, foi aprovada a paridade entre homens e mulheres nos cargos eletivos da OAB e a cota racial de 30%, mudanças válidas já a partir de 2022. Nunca tivemos uma OAB tão plural e participativa.

A nossa gestão insiste em falar de um a outro extremo do estado. Da interiorização da ESA à assistência efetiva da CAAPE, da altivez nas lutas institucionais ao lado da advocacia à defesa intransigente das prerrogativas profissionais. Da construção e reformas de sedes pelo interior, de salas da advocacia, parlatórios e escritórios compartilhados ao efetivo investimento nas políticas de transparência e de compliance, que são modelos para todo o país.

A advocacia pernambucana respira ares de mais inclusão, lança sementes de mais integridade, e se ainda não construímos a instituição dos sonhos, esta é, sem dúvida, uma gestão que está deixando a OAB/PE um espaço onde cada advogada e advogado encontra mais pluralidade e cidadania, pode se sentir e fazer parte do processo de suas decisões, agregando valor e ideias, somando mais do que dividindo. E a minha contribuição, inclusive, é de apenas fazer parte de um processo que arregimenta sonhos para trabalhar pelo coletivo. Sempre com serenidade e humildade, mas sem nunca perder a assertividade.

Bruno Baptista, advogado e presidente da OAB/PE

  *Os artigos são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião do JC

Comentários

Últimas notícias