ARTIGO

É essencial preparar as crianças e os jovens para serem líderes globais

"O cidadão global pode se tornar um líder global, função importante, mas carente no mundo. É essencial preparar as crianças e os jovens para serem líderes globais e, assim, poderemos ter a esperança de construir um mundo digno para todos". Leia a opinião de Eduardo Carvalho

Eduardo Carvalho
Eduardo Carvalho
Publicado em 06/08/2021 às 6:15
Notícia
PIXABAY
"O cidadão global é o indivíduo consciente de que faz parte de um mundo maior do que a comunidade onde vive" - FOTO: PIXABAY
Leitura:

O século atual apresenta oportunidades e desafios que requerem nova abordagem para a educação. Segundo a The Economist Intelligence Unit, a quantidade de empresas multinacionais cresceu de 3 mil, em 1990, para mais de 100 mil, em 2020. Esse número tende a aumentar nos próximos anos porque muitas empresas de países desenvolvidos sinalizam a intenção de ampliar a atuação nos mercados emergentes com a aquisição de empresas locais.

Para atender ao cenário vislumbrado, o sistema educacional precisa estar apto a preparar as crianças e os jovens para viver e trabalhar numa sociedade global. A abordagem do ensino deve ser transdisciplinar e compreender a educação para o desenvolvimento sustentável e para a compreensão internacional. A formação do cidadão global deve abranger o aprendizado sobre o mundo globalizado, através das redes e dos contextos globais. É fundamental que o processo ocorra desde criança, conscientizando-a sobre o senso dos direitos e das responsabilidades nas comunidades local, nacional e global, com o propósito de realizar o bem comum.

O cidadão global é o indivíduo consciente de que faz parte de um mundo maior do que a comunidade onde vive; que respeita os valores e a diversidade; compreende como o mundo funciona; participa de grupos sociais e profissionais; é comprometido em encontrar soluções para os problemas locais e globais; almeja um mundo sempre melhor; e trabalha de modo colaborativo. O cidadão global está preparado para viver e trabalhar em qualquer lugar do mundo.

A cidadania global está associada às habilidades de observar a si próprio e o mundo, fazer comparações e enxergar as relações de poder e compreendê-las, de modo sistêmico. O cidadão global é autocrítico, criativo, proativo, empático, ponderado, com bons princípios, possui mente aberta, é questionador, fluente em Inglês e um contínuo aprendiz.

A pedagogia da formação do cidadão global compreende o estímulo ao diálogo; ao desenvolvimento da resiliência e da competência para ação; ao estabelecimento das conexões com o mundo real e ao pensamento e aprendizado global, com ações locais. Essas ações envolvem a preservação do meio ambiente, a colaboração para solucionar os problemas comunitários e a conscientização dos cidadãos de uma comunidade sobre a importância da democracia e do voto responsável.

O cidadão global pode se tornar um líder global, função importante, mas carente no mundo. É essencial preparar as crianças e os jovens para serem líderes globais e, assim, poderemos ter a esperança de construir um mundo digno para todos.

Eduardo Carvalho, Harvard University Fellow

 

*Os artigos são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião do JC

Comentários

Últimas notícias