CRIME

Sobe para 274 o número de casos de agulhada no Carnaval 2020

Os casos aconteceram nos municípios de Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Igarassu, Paulista, Itamaracá e Orobó

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 03/03/2020 às 18:56
Notícia
Foto: Reprodução/ Pixabay
Vítimas foram atingidas entre os dias 15 de fevereiro e 2 de março - FOTO: Foto: Reprodução/ Pixabay
Leitura:

Subiu para 274 o número de casos de pessoas vítimas de agulhadas no Carnaval 2020. As informações são da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e dizem respeito ao período de 15 de fevereiro a 2 de março. Os casos aconteceram nos municípios de Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Igarassu, Paulista, Itamaracá e Orobó. Das vítimas, 156 são mulheres e 118 são homens. 

>> 'Acabou o Carnaval', dizem vítimas de agulhadas em Olinda e Recife

>> Vítima de agulhada no Carnaval de Pernambuco acusa polícia de negligência

Em nota, a SES afirmou que, após triagem no Hospital Correia Picanço, no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife, que é referência estadual em doenças infecto-contagiosas, 233 pacientes realizaram a profilaxia pós-exposição (PeP) para prevenir a infecção pelo HIV e outras infecções. Os demais, ou se recusaram a fazer o teste rápido (pré-requisito para o uso da medicação), e, consequentemente, o tratamento, ou já tinham passado da janela de 72 horas preconizadas para início da medicação. Todos foram liberados após avaliação médica, com a orientação de retorno após 30 dias para conclusão do tratamento.

Os pacientes também foram orientados a realizarem o monitoramento permanente de possíveis infecções no próprio Hospital Correia Picanço ou nos Serviços de Atenção Especializada (SAE), espalhados por vários municípios do Estado.

De acordo com a SES, os índices de transmissão por meio de picadas com agulhas infectadas são considerados baixos, em média 0,3%. Todos os pacientes também receberam a indicação de procurarem os órgãos policiais para investigação das ocorrências.

Em 2019, cerca de 300 pessoas deram entrada no Hospital Correia Picanço alegando terem sido furadas por seringas durante os festejos de Momo. Não houve casos positivos relacionados a este evento.

SEGURANÇA 

A Polícia Civil registrou 79 boletins de ocorrência de pessoas relatando terem sido vítimas de agulhadas no Carnaval. Desses, 53 são referentes a supostos ataques em Olinda e 26 no Recife. Entre os casos registrados está o de um homem que informou ter sido lesionado na cidade de Aracajú, no estado de Sergipe. Inquéritos foram instaurados e os casos estão sendo investigados.

Um posto de atendimento funcionou no Correia Picanço até o Quarta-feira de Cinzas, com delegados, escrivães, agentes e peritos. Agora, quem precisar registrar esse tipo de ocorrência pode procurar a delegacia mais próxima a sua residência. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias