covid-19

Pernambuco convoca médicos acima de 70 anos para atendimento ao coronavírus a distância

Servidores afastados por comorbidades comprovadas também foram convocados

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 23/04/2020 às 9:03 | Atualizado em 23/04/2020 às 15:57
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
No Brasil, consultas com um urologista, em 2021, continuam baixas. Até julho, foram realizadas 1.812.982 consultas. Em 2019, foram 4.232.293 e em 2020, 2.816.326. - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

DIVULGAÇÃO
SELO PATROCINADO UNINASSAU - DIVULGAÇÃO

O governo de Pernambuco convocou, nesta quinta-feira (23), médicos com idade igual ou superior a 70 anos para atuar nas orientações a distância do Programa Atende em Casa. A ferramenta faz uma avaliação de sintomas e, caso seja necessário, videochamada com profissionais de saúde que dão orientações para quem tiver suspeita de ter contraído o novo coronavírus. Servidores afastados por comorbidades comprovadas também foram convocados.

>> Com filas em alta por conta do coronavírus, Pará recorre a médicos cubanos

>> Coronavírus: número de pacientes graves em UTIs aumenta 83% em 24 horas em Pernambuco

O site pode ser acessado pela internet, pelo celular ou pelo computador. A pessoa que estiver sentindo algum sintoma entra na plataforma, fornece seus dados e responde a um questionário sobre o que está sentindo. A depender das respostas, a pessoa receberá uma orientação através do próprio site. A ferramenta pode ser acessada pelo www.atendeemcasa.pe.gov.br/wellcome.

Lançado em março, em parceria com a Prefeitura do Recife, o aplicativo tem mais de 11 mil usuários cadastrados. Cerca de três mil pessoas com sintomas ou condição de gravidade receberam teleorientações com médicos ou enfermeiros e mais de 800 pacientes foram orientados a procurar um serviço de saúde para consulta.

Pernambuco

Até a publicação desta matéria, o Estado já ultrapassa a marca de três mil infectados e tem 282 óbitos. Os números foram divulgados em boletim do governo estadual.

DIVULGAÇÃO
SELO PATROCINADO UNINASSAU - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias