COVID-19

Pernambuco investiga morte de bebê de três dias por coronavírus

A criança de apenas três dias de vida vivia em uma aldeia indígena do município de Floresta

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 04/05/2020 às 18:47
Notícia
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Ele nasceu nesta quarta-feira (1º), às 0h29, na maternidade da Encruzilhada - FOTO: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

O governo de Pernambuco investiga o óbito de um bebê indígena de apenas três dias de vida pelo novo coronavírus (covid-19) no município de Floresta, no Sertão do Estado. De acordo com o secretário de saúde do Estado, André Longo, a criança foi testada em uma unidade de saúde municipal e teve diagnóstico confirmado para a doença. O caso ainda não entrou para as estatísticas oficiais do Estado. 

>> Condições de isolamento vão ser ampliadas no Recife, diz Geraldo Julio sobre lockdown

>> Entenda o que é um lockdown durante a pandemia do coronavírus

>> Pernambuco tem 220 novos casos de coronavírus e 39 mortes; Estado soma 8.863 infectados e 691 óbitos

Segundo Longo, a mãe da criança teria realizado consulta, parto e laqueadura pela rede privada. Na Madrugada de sábado, o bebê teria dado entrada em uma unidade de saúde municipal com sintomas do novo coronavírus. Foi atendida, medicada e mandada para casa, onde acabou evoluindo para um quadro de insuficiência respiratória. Na unidade de saúde, de acordo com André Longo, foi feita a coleta do material para análise, que teria sido positiva para a covid-19. A mãe da criança é assintomática e está sendo acompanhada. 

Ao lado do secretário de saúde de Pernambuco na coletiva de imprensa desta segunda-feira (4), o secretário de saúde do Recife, Jailson Correia, que é pediatra, destacou que casos como esse são incomuns na literatura mundial sobre a doença. "A gente lamenta muito mais uma perda, de uma vida tão precoce, aos três dias de vida, de uma criança vinda de uma aldeia indígena.  É um evento raro, mas os recém-nascidos têm imunidade frágil e qualquer infecção por algum agente nesse período pode evoluir para um quadro mais grave", afirmou o médico. Segundo ele, na capital pernambucana, apenas 2% dos casos confirmados de covid com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são de pessoas com menos de 10 anos de idade. 

Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus


Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?


Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?


O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

- Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
- Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
- Evitar contato próximo com pessoas doentes.
- Ficar em casa quando estiver doente.
- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
- Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
- Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Comentários

Últimas notícias