NORONHA

Em protesto, moradores de Noronha pedem explicações sobre situação de saúde de servidores

De acordo com moradores, dos 33 servidores e funcionários de empresas privadas que desembarcaram em Noronha no último domingo (17), 13 estariam com a covid-19

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 19/05/2020 às 0:36
Notícia
DIVULGAÇÃO
MORADORES DE FERNANDO DE NORONHA PROTESTAM NA FRENTE DA ADMINISTRAÇÃO DA ILHA - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

atualizada às 14h22 do dia 19 de maio de 2020

Dezenas de moradores do Arquipélago de Fernando de Noronha realizaram um protesto que iniciou na noite da segunda-feira (18) e entrou pela madrugada desta terça-feira (19),  em frente à casa do administrador da ilha, Guilherme Rocha. Entre os motivos, o principal foi por conta do desembarque no aeroporto da ilha de 13 pessoas que estariam com sintomas de coronavírus.

De acordo com testemunhas que falaram com a reportagem do Jornal do Commercio e pediram o anonimato com medo de sofrer represálias, no último domingo (17), um voo proveniente do Recife teria chegado à Ilha com 33 pessoas. Todas haviam feito os exames na sexta-feira (15), no continente. Só que no domingo o resultado saiu e 13 delas, entre servidores e funcionários de empresas privadas que prestariam serviço em Noronha, testaram positivo para covid-19.

Fontes dos setor de saúde do Estado informaram ao JC que a vigilância sanitária teria ido ao alojamento onde as pessoas com casos suspeitos se encontram para entregar os exames que confirmam o contaminação da covid-19.

A revolta dos moradores se dá pelo fato de Noronha ter zerado a quantidade de casos do coronavírus. Para quem não lembra, Fernando de Noronha teve 28 casos confirmados de coronavírus. Após a implementação de um lockdown (por sinal, o primeiro do Brasil) que durou 15 dias, todos ficaram curados e os casos foram zerados. 

>> Fernando de Noronha zera número de casos confirmados de coronavírus

>> Saiba tudo sobre o novo coronavírus

Uma moradora local, que também preferiu não se identificar, afirmou que a Ilha não precisava de mais servidores para cuidar da população. Ela destaca ainda que os policiais do local já eram suficientes para evitar que as pessoas saíssem de casa, mas que a administração da ilha teria optado pela troca do efetivo.

"Todos respeitaram o lockdown. Na minha opinião, o efetivo da polícia que já existia em Noronha era o suficiente para conter os poucos [habitantes] que, de fato, não estavam cumprindo o isolamento social. Depois que Noronha zerou os casos da covid-19, a administração volta a trazer pessoas para desenvolver atividades essenciais na ilha que a comunidade não enxerga como essencial. Se as pessoas que vão prestar serviços essenciais estão liberadas para entrar na Ilha, por que não abrir para a comunidade também que precisou deixar a ilha por algum motivo?", indagou.

O retorno dos moradores, que por algum motivo precisaram deixar a Ilha desde o início do lockdown, em meados de abril, está proibido pela adminstração da ilha. A saída, no entanto, continua autorizada. O fato gerou mais revolta dos "locais".

Panelaço por falta de cestas básicas e vale-gás

No protesto, os moradores fizeram ainda um panelaço, pedindo a reabertura do comércio local, uma vez que os casos da covid haviam zerado. "Aqui, temos famílias que não receberam as cestas básicas prometidas pelo administrador e estão vivendo à míngua. Tem dona de casa que está improvisando fogão em casa para cozinhar, porque até o vale-gás que foi prometido não está sendo dado. Isso é obrigação dele [do administrador] providenciar tudo isso, porque a população está parada e passando fome", disse um morador que preferiu não se identificar.

Servidores estariam furando isolamento indo à praia

Os manifestantes denunciaram também que alguns dos servidores e seus filhos que estão em Noronha estariam rompendo o lockdown e indo às praias. "Um dos motivos que a população está revoltada também é que os servidores estão 'furando' o lockdown. Enquanto a população está em casa encarcerada, os funcionários podem ir à praia. Essa também é a nossa revolta", explicou outro morador do local.

O que diz a administração de Noronha?

Segundo a administração da Ilha de Fernando de Noronha, 12 servidores testaram positivo para o novo coronavírus. Eles foram submetidos ao exame para detectar o vírus ainda no Recife, no dia 17 de maio, antes de embarcar para o arquipélago. Desde então, eles estão isolados e irão retornar ao Recife até a próxima quinta-feira (21). Ao todo, 31 servidores estavam no voo que saiu da capital pernambucana. 

Ainda de acordo com a administração do arquipélago, como os servidores que testaram positivo para a doença são moradores da Região Metropolitana do Recife (RMR), esses casos não entram na contagem de confirmados em Noronha, e, por isso, a Ilha segue sem novas confirmações. 

Por conta dos diagnósticos positivos, o aeroporto Wilson Campos foi fechado nesta terça-feira (19) por tempo indeterminado. O Jornal do Commercio entrou em contato com a administração do arquipélago para saber se o aeroporto ficará fechado apenas para desembarque, mas ainda não obteve resposta. 

Leia a íntegra da nota

"No último domingo, 17, um grupo de 31 servidores desembarcou no aeroporto Wilson Campos, em Fernando de Noronha, para prestar serviços essenciais à população (como manutenção do sistema de abastecimento de água e das redes elétrica e de telefonia) e substituir trabalhadores que precisavam retornar ao continente. Como forma de prevenção, ainda no Recife, todos os passageiros que embarcariam na aeronave foram submetidos a testes para detectar uma possível contaminação pelo novo coronavírus. Uma vez na ilha, os passageiros ficaram em quarentena aguardando os resultados dos exames que saíram ontem, 18. Dos 31 testados, 12 foram confirmados para Covid-19. As pessoas infectadas, todas assintomáticas, retornarão ao Recife, até a próxima quinta-feira, em voo fretado. Como são moradores da Região Metropolitana do Recife, esses casos não entram na contagem de confirmados em Noronha. O aeroporto Wilson Campos voltará a ficar fechado para desembarque de qualquer pessoa, por tempo indeterminado. É compromisso da Administração manter em segurança a população da ilha e todas as medidas necessárias serão tomadas para que o vírus não volte a circular no arquipélago. Nesta terça-feira, 19, os cinco casos que ainda estavam em investigação na ilha foram descartados. Fernando de Noronha continua sem casos de Covid-19. Todos os 28 confirmados na ilha, estão recuperados."

Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus

Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias