enfrentamento ao Aedes aegypti

Agentes de endemias de Olinda utilizam equipamentos de proteção para controle das arboviroses

O controle das arboviroses não podem parar e devido a isso, todos os agentes estão usando EPI's, e quando existe algum caso de síndrome gripal ou até mesmo do coronavírus na residência, os agentes não entram

JC
JC
Publicado em 25/05/2020 às 15:52
DIVULGAÇÃO
O trabalho é coordenado pelo Cevao - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

O Centro de Vigilância Ambiental de Olinda (Cevao) está trabalhando junto às medidas de controle das arboviroses e enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti no município. Em virtude da pandemia do novo coronavírus, os Agentes Comunitários de Endemias (ACEs) estão seguindo as orientações descritas em normas técnicas do Ministério da Saúde voltadas às inspeções domiciliares.

A recomendação é que os ACEs realizem a vistoria apenas dos quintais e áreas externas das residências, sobretudo, onde há pessoas acima de 60 anos. Quando existe algum caso de síndrome gripal ou até mesmo do coronavírus na residência, os agentes não entram.

Toda a equipe de Agentes de Endemias está utilizando os Equipamentos de Proteção Individual para que possa desenvolver o controle das arboviroses no município.

Dengue no Estado

Os últimos dados do Ministério da Saúde de 2019 mostram que o País registrou 1.544.987 casos de dengue em 2019, 488,3% de aumento em relação a 2018. O número de mortes confirmadas também subiu: de 201 para 782 - salto de 289%.

No Estado, a Secretaria de Saúde informou que 34 municípios estavam em situação de risco de surto, 91 em alerta e 54 em situação satisfatória. Em 2019, Pernambuco registrou 61.451 casos suspeitos de dengue e destes, 20.448 já foram confirmados e 12 mortes. Em comparação a 2018, o aumento foi de 170%

Comentários

Últimas notícias