crime ambiental

CPRH embarga obra municipal na praia de Maracaípe e multa a Prefeitura de Ipojuca

A CPRH constatou crime ambiental de acordo com a supressão da vegetação de restinga da praia de Maracaípe, Litoral Sul de Pernambuco

Alice Albuquerque
Alice Albuquerque
Publicado em 28/07/2020 às 16:28
Notícia

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
ONG Salve Maracaípe faz intervenção na praia com S.O.S - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Leitura:

Depois de diversas publicações nas redes sociais da ONG Salve Maracaípe com denuncias da devastação de uma área de restinga da praia do município de Ipojuca, no Grande Recife, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) fez uma vistoria no local nesta terça-feira (28). Após a visita, a agência ambiental decidiu embargar a obra municipal apontada como causadora da destruição da área usada por tartarugas-marinha em seu período de desova. A CPRH também multou a Prefeitura de Ipojuca no valor de R$ 5 mil pelo crime ambiental.

>> CPRH faz vistoria em devastação na área de restinga em Maracaípe, Litoral Sul de Pernambuco

Através de nota, a CPRH informou que a obra da quadra esportiva que a Prefeitura de Ipojuca estava construindo na praia de Maracaípe responsável pela supressão da vegetação de restinga, configurando crime ambiental. "A obra foi embargada e a Prefeitura do Ipojuca, no Litoral Sul, responsável pela construção, foi multada em R$ 5 mil e deverá apresentar à CPRH, no prazo de 60 dias, o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD)", diz a nota.

>> ONG denuncia devastação de restinga em Maracaípe, no Litoral Sul de Pernambuco

Nesta segunda-feira (27), a ONG Salve Maracaípe fez uma publicação no Instagram pedindo uma restinga viva e recuperada. "Precisamos de cordas e estacas para proteger a restinga, quem puder doar, fala com a gente! Seguimos". 

Procurado pelo JC, o gestor ambiental e integrante da Salve Maracaípe, Sidney Marcelino explicou que a obra da Prefeitura, que informou que o local receberia uma quadra de esportes móvel para crianças e adolescentes e que o projeto não causará impacto social, foi embargada pela CPRH nesta terça. "A obra não está de acordo com a legislação. Temos esperança que as leis sejam cumpridas em defesa da naturaza e de pessoas que tem o dever de zelar pelo meio ambiente, mas estão fazendo ao contrário. Temos um projeto chamado Restinga Viva, que estamos tentando isolar aquela área para proteção. Quando a Prefeitura deveria proteger, ela faz ao contrário, a política que temos aqui na cidade é próxima a política do governo Bolsonaro", afirmou.

Nota CPRH

CPRH embarga obra na praia de Maracaípe, no litoral Sul


Equipe técnica da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) fiscalizou, nesta terça-feira (28), a obra (quadra esportiva) que estava sendo construída na praia de Maracaípe, onde foi constatada supressão da vegetação de restinga, o que configura crime ambiental. A obra foi embargada e a Prefeitura do Ipojuca, no litoral sul, responsável pela construção, foi multada em R$ 5.000 mil e deverá apresentar à CPRH, no prazo de 60 dias, o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD).

Resposta da Prefeitura de Ipojuca

Segundo a Prefeitura de Ipojuca, a área estava sendo utilizada anteriormente para pouso e decolagem de parapentes e paramotores. Por meio de nota, a gestão municipal informou também que a desova de tartarugas foi analisada e, por isso, a quadra, projeto executado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e apoiado pelo Ministério Público da comarca, será móvel.  

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, as fotos abaixo mostram a área antes do início da obra:

PREFEITURA DE IPOJUCA
Praia de Maracaípe - PREFEITURA DE IPOJUCA
PREFEITURA DE IPOJUCA
Praia de Maracaípe - PREFEITURA DE IPOJUCA
PREFEITURA DE IPOJUCA
Praia de Maracaípe - PREFEITURA DE IPOJUCA
PREFEITURA DE IPOJUCA
Praia de Maracaípe - PREFEITURA DE IPOJUCA

Leia a íntegra da nota à imprensa:

"A Prefeitura do Ipojuca esclarece que área em Maracaípe, onde receberá uma quadra móvel para enfrentamento do trabalho infantil e violência contra criança e adolescentes, acompanhadas pelo CREAS, estava sendo utilizada, anteriormente para pouso e decolagem de parapentes e paramotores. Antes da pandemia do Ccvid-19, a Prefeitura do Ipojuca concedeu a licença para a execução do projeto que tem como executora a Secretaria Municipal de Assistência Social, projeto apoiado pelo Ministério Público da comarca.

É importante ressaltar que o projeto não causará impacto ambiental no espaço destinado à oficina de esportes na praia de Maracaípe, e que também foi analisada a desova das tartarugas no local. Para tal, a estrutura da arena será totalmente móvel, tendo o município através do projeto locado um container para armazenar o material. As oficinas serão custeadas com recursos federais e constituem expansão do serviço já existente de convivência e fortalecimento de vínculos já existente. O Instituto Geração Quatro executará o projeto. Todas as medidas sanitárias e ambientais já foram adotadas."

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias