Boa notícia

Professora de 60 anos é a paciente de número 2.500 a ter alta dos hospitais de campanha do Recife

Um corredor de aplausos foi formado pelos profissionais do Hospital Provisório Recife 2, nos Coelhos, para celebrar a recuperação da paciente

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 01/08/2020 às 15:41
Notícia

Andréa Rêgo Barros/PCR
Eliane dos Santos Medeiros, paciente de número 2.500 a ter alta dos hospitais de campanha da Prefeitura do Recife - FOTO: Andréa Rêgo Barros/PCR
Leitura:

Uma professora de 60 anos foi a paciente de número 2.500 a ter alta, nessa sexta-feira (31), dos hospitais de campanha instalados no Recife para tratamento do novo coronavírus. Para celebrar a recuperação de Eliane dos Santos Medeiros e dos demais pacientes que venceram a doença nas unidades do município, profissionais do Hospital Provisório Recife 2, nos Coelhos, região central da cidade, formaram um corredor de aplausos.

>>Prefeito do Recife anuncia programa de prevenção contra a covid-19 destinado ao grupo de risco

>>Hospitais de campanha do Recife chegam a 2,5 mil altas de pacientes que tiveram coronavírus

Veja imagens:

Andréa Rêgo Barros/PCR
Eliane dos Santos Medeiros, paciente de número 2.500 a ter alta dos hospitais de campanha da Prefeitura do Recife - Andréa Rêgo Barros/PCR
Andréa Rêgo Barros/PCR
Eliane dos Santos Medeiros, paciente de número 2.500 a ter alta dos hospitais de campanha da Prefeitura do Recife - Andréa Rêgo Barros/PCR
Andréa Rêgo Barros/PCR
Eliane dos Santos Medeiros, paciente de número 2.500 a ter alta dos hospitais de campanha da Prefeitura do Recife - Andréa Rêgo Barros/PCR
Andréa Rêgo Barros/PCR
Eliane dos Santos Medeiros, paciente de número 2.500 a ter alta dos hospitais de campanha da Prefeitura do Recife - Andréa Rêgo Barros/PCR

A professora Eliane, que passou por sete dias de internação entre a UTI e a enfermaria do HPR 2, agradeceu aos profissionais que cuidaram dela durante o período. “Fui muito bem atendida e estou muito agradecida a todos os profissionais, desde os serventes, aos médicos e gestores. Para a equipe do hospital desejo muitas felicidades. Todos ajudam a gente no peito e na raça. Não tinha ninguém com má vontade. A equipe foi muito bem preparada”, revelou. 

Por ser idosa e apresentar doença crônica, Eliane integra o grupo de risco da covid-19. Durante o tempo em que ficou internada, a pedagoga contou que realizava orações diariamente para que pudesse ter a saúde restabelecida e conhecer seu primeiro neto que está à caminho. Apesar da alegria pela recuperação, Eliane fez um alerta à população sobre a importância de cumprir as medidas de prevenção. “Quero deixar um recado a todos. Isso aqui não é uma brincadeira; é uma guerra. O povo não está acreditando. Essa doença não é brincadeira. Usem máscara, não fiquem juntos de muita gente e cuidem de si e do próximo”, disse.

O supervisor de Enfermagem da UTI, Erickson Luan Gomes, que esteve diretamente envolvido no tratamento de Eliane, também comemorou. “Ela é uma pessoa muito sensível. Quando chegou, não acreditou que estava com covid, mas ao ver o exame, começou a responder ao tratamento, mesmo sendo asmática. Quando dei a notícia de sua alta, ela não acreditou. Ficou bastante emocionada”, revelou.

Para o prefeito de Recife, Geraldo Júlio (PSB) o marco alcançado representa o trabalho de todos os profissionais que estiveram envolvidos de alguma forma com a construção dos hospitais de campanha, além dos que trabalham, diariamente, na linha de frente cuidando de todos os pacientes. 

“Transformamos terrenos, galpões sem uso, em enfermaria e UTIs que estão salvando vidas. Muito mais do que um número, cada pessoa dessa que voltou para casa curada representa muito para sua família, para os seus amigos e para toda a sociedade. Quero agradecer a todos que participaram da construção e da equipagem, e a todos que trabalham no funcionamento desses hospitais de campanha, salvando muitas vidas diariamente”, disse o prefeito em anúncio para a imprensa. 

Hospitais de campanha

Atualmente, a rede municipal do Recife tem, nos sete hospitais de campanha criados, 724 leitos em funcionamento, sendo 342 de UTI e 382 de enfermaria. Tal estrutura já resultou em mais de 13.500 atendimentos e mais de cinco mil internações.

Além dos hospitais de campanha, a gestão também destinou parte da rede de Atenção Básica à Saúde para atender os casos de coronavírus. Nas 20 unidades de referência da Atenção Básica já foram realizados 20 mil atendimentos. Com elas, também há a separação dos casos suspeitos e confirmados de pessoas que procuram os postos para vacinação, pré-natal e outras atendimentos.

De acordo com levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), o Recife foi a capital brasileira que, proporcionalmente, abriu mais leitos para pacientes com confirmação ou suspeita de infecção pela covid-19. Foram 1.155 leitos criados durante a pandemia, atrás apenas da cidade de São Paulo, com 1.791 leitos. Deste modo, levando em consideração o número de habitantes, Recife criou, proporcionalmente, cinco vezes mais leitos para a sua população do que a capital paulista. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias