DENÚNCIA

Familiares de adolescente morto fazem protesto na BR-232 e denunciam ação violenta da Polícia Militar

De acordo com testemunhas, Lucas da Luz foi confundido com um suspeito pela PM

JC
JC
Publicado em 20/10/2020 às 7:39
Notícia

Divulgação
Familiares e amigos da vítima protestam - FOTO: Divulgação
Leitura:

Reportagem atualizada às 7h59

Um adolescente de 17 anos, identificado como Lucas da Luz Márcio da Rocha, foi morto no último sábado (17) no bairro do Alto da Colina, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Na manhã desta terça-feira (20), familiares e amigos da vítima protestaram na BR-232 e denunciaram ação violenta da Polícia Militar na comunidade, que teria ocasionado na morte do garoto. Por conta da realização do protesto, que aconteceu até às 7h40, a BR-232 ficou congestionada durante um período de tempo, mas já segue em trânsito fluido e normal.

Divulgação
Familiares e amigos da vítima protestam - Divulgação
Divulgação
Familiares e amigos da vítima protestam - Divulgação
De acordo com testemunhas, Lucas da Luz foi confundido com um suspeito pela PM. O garoto foi atingido com um tiro de fuzil, chegou a ser levado ao Hospital Otávio de Freitas (HOF), localizado em Tejipió, na Zona Oeste do Recife, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. O adolescente foi enterrado na última segunda (19), no cemitério de Jaboatão. 

"Meu filho estava no local errado e na hora errada. A Polícia chegou e fez a abordagem, meu filho parou, eles renderam os outros rapazes e renderam meu filho e deram um tiro de fuzil por trás. Meu filho caiu e eles chutaram muito meu filho e deram coronhada na cabeça dele", disse a mãe do adolescente, Edilma Maria da Luz, em entrevista à TV Jornal. "Eu quero justiça, sei que isso não vai trazer mais meu filho, mas eu quero justiça. Meu bichinho tão magrinho, a Polícia já tinha rendido ele. Meu filho era negro e magrinho, do mesmo tipo que a pessoa que eles estavam procurando era", completou. 

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Moradores do Alto da Colina, no Curado, protestam na BR 323 pela morte do adolescente Lucas de 17 anos, que segundo eles foi morto pela polícia com uma bala de fuzil. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Moradores do Alto da Colina, no Curado, protestam na BR 323 pela morte do adolescente Lucas de 17 anos, que segundo eles foi morto pela polícia com uma bala de fuzil. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

Edilma explica que a polícia chegou a alegar que o garoto havia atirado na direção dos agentes, mas que isso não foi comprovado nem por testemunhas, nem por exame pericial. "Disseram que meu filho tinha atirado e meu filho nunca nem pegou em uma arma. Não fizeram exame de balística nele, não foi polícia, nem delegado, nem ninguém no hospital saber o que tinha acontecido. Eu não tenho nem palavras pra dizer como estou me sentindo desde sábado, com a perda do meu filho."

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Moradores do Alto da Colina, no Curado, protestam na BR 323 pela morte do adolescente Lucas de 17 anos, que segundo eles foi morto pela polícia com uma bala de fuzil. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

Em nota, a Polícia Militar de Pernambuco defende que foi até o bairro de Cavaleiro averiguar a a informação de que cinco pessoas praticavam tráfico e portavam armas, e que, chegando lá, o adolescente teria efetuado disparos de arma de fogo contra os policiais, que revidaram e o atingiram no glúteo. A corporação afirma que ele carregava drogas e um revólver. 

Confira nota da PM

"Neste último sábado (17), por volta das 20h30, na Rua Alto da Colina, no bairro de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, policiais militares do 25ºBPM, foram averiguar uma informação de que no local havia cerca de cinco indivíduos portando armas e praticando tráfico de entorpecentes. Ao chegar no endereço, o efetivo visualizou aproximadamente cinco pessoas em atitude suspeita que, de imediato, com exceção de um, empreenderam fuga. Neste momento, a equipe policial deu ordem para o indivíduo pôr as mãos na cabeça, foi quando o suspeito efetuou disparos de arma de fogo contra os policiais, enquanto tentava fugar. Os PMs revidaram a agressão, atingindo-o no glúteo. Enquanto tentava fugir, acabou caindo em um barranco. Ele ainda foi socorrido para o Hospital Otávio de Freitas, mas não resistiu aos ferimentos e foi a óbito. O homem carregava uma sacola com 53 pedras de crack e 117 bigs de maconha, além de um revólver calibre 38, contendo três munições pinadas, uma deflagrada e duas intactas.

Dentre os que fugiram, ainda foram capturados dois outros indivíduos, com registro criminal no Portal da SDS (motivo não especificado). Ambos foram ouvidos e liberados na DHPP."

Bruno Campos/JC IMAGEM
BR-232 liberada - Bruno Campos/JC IMAGEM
Bruno Campos/JC IMAGEM
BR-232 liberada - Bruno Campos/JC IMAGEM


Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias