checagem

Texto engana ao dizer que hospitais estão superlotados com casos de covid-19

Material recebido pelo Confere.ai aponta que não há mais vagas em leitos de UTI do estado e médicos estão sendo internados em estado grave; equipe da plataforma foi esclarecer o caso

Laís Arcanjo
Laís Arcanjo
Publicado em 05/11/2020 às 9:48
Notícia

Rovena Rosa/Agência Brasil
Informações recebidas pelo Confere.ai distorcem realidade sobre ocupação das unidades de terapia intensiva - FOTO: Rovena Rosa/Agência Brasil
Leitura:

confere.ai
Matéria produzida pelo projeto Confere.ai em parceria com o Jornal do Commercio. - confere.ai

Na primeira semana de funcionamento do Confere.ai, a covid-19, o auxílio emergencial e as eleições foram os temas mais buscados entre os usuários da plataforma. Uma das notícias recebidas para a verificação na última semana, envolvendo o novo coronavírus, levantou dúvidas.

O texto diz que as unidades de terapia intensiva (UTI) dedicadas a pacientes com covid-19 do Hospital Memorial São José, localizado no bairro do Paissandu, no Recife, estava em situação de lotação, e médicos que contraíram a doença, em estado grave, foram transferidos para outro hospital, o Hospital Esperança, localizado na Ilha do Leite. A equipe do Confere.ai foi atrás das respostas.

Confere.ai
Notícia checada pelo Confere.ai recebeu selo crítico quanto ao nível de desinformação - Confere.ai

 

A assessoria dos hospitais, ambos pertencentes à Rede D’or, do estado do Maranhão, afirmou que informações sobre casos relacionados à covid-19, tanto para redes de saúde privadas quanto para as públicas, ficam a cargo das Secretarias de Saúde do município e do estado.

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirma que houve um aumento na procura pelas emergências hospitalares, principalmente das redes privadas, mas nem todos os casos foram confirmados como o do novo coronavírus. “Nas últimas semanas, representantes das unidades hospitalares, principalmente da rede privada, informaram um aumento de pessoas nas emergências com sintomas gripais leves, mas essa procura se deve pelos mais diversos quadros e não necessariamente da covid-19, já que há uma série de outras doenças que continuam circulando e provocam sintomatologia semelhante”, informou em nota.

O aumento na procura pelas emergências também se deu pelo crescimento das testagens, segundo o infectologista do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) Filipe Prohaska. “No começo as pessoas tinham receio de ir ao hospital encontrar pacientes com covid, e agora estamos numa situação em que todo mundo está convivendo no dia a dia, então esse medo foi um pouco perdido. E aí tem a urgência de fazer o exame mais precoce. Antes fazíamos somente em pacientes graves, e hoje testamos todo mundo, e isso faz com que as pessoas procurem mais a emergência.”

Quanto aos médicos citados no texto, o pneumologista Paulo Almeida já havia desmentido há poucos dias outra publicação semelhante ao texto recebido pelo Confere.ai, na qual dizia que seu estado de saúde era grave e que o mesmo se encontrava internado por conta da covid-19. A M-Tórax, clínica onde o médico atua, esclareceu que o mesmo “não está com covid e não foi internado. É mais uma informação mentirosa.”

Em relação à ocupação dos leitos, na rede pública, de acordo com informação atualizada diariamente no boletim divulgado pela SES-PE, a taxa de ocupação está em 66%, sendo 54% nos leitos de enfermaria e 79% nas vagas de UTI. Já na rede privada, os dados enviados pelas próprias unidades apontam para uma ocupação média de 54% (24% enfermaria e 75% UTI).

“Quando estávamos no auge os hospitais tinham um número de leitos muito alto que foram preparados para receber essa primeira onda da covid, e esses leitos foram diminuindo no decorrer do tempo. Então tem hospitais hoje que trabalham com 20, 30% a menos da capacidade do que eles trabalhavam antes. Mas se houver realmente um aumento de demanda, eles podem voltar aos 100% anteriores. Para a rede privada existe essa possibilidade de ter mais leitos disponíveis. No SUS é diferente. Houve um desmonte de hospitais. Dos sete hospitais de campanha, atualmente só tem um, e aí é uma outra dificuldade, de como seria essa reestruturação”, explica Filipe Prohaska.

A alta porcentagem de ocupação acendeu o alerta para o Governo de Pernambuco. Em coletiva de imprensa na última quarta-feira (04), o secretário de saúde do estado, André Longo, informou que está sendo avaliada a reabertura de vagas que foram desativadas durante o período de queda dos casos mais graves.

>> Leia mais: Covid-19: Pernambuco avalia reabrir leitos de UTI se ocupação superar 80%

No fim do mês de outubro, quando começaram a circular notícias sobre a superlotação das unidades intensivas, o secretário André Longo realizou pronunciamento para esclarecer possíveis boatos.

Os números da covid-19 são atualizados diariamente por meio dos boletins diários publicados pela SES-PE. Outras informações também podem ser verificadas nos canais oficiais do Governo do Estado nas redes sociais.

Confere.ai

O Confere.ai é a primeira plataforma de verficação automática de conteúdos do Nordeste. A ferramenta utiliza técnicas de inteligência artificial para detectar se uma notícia possui características de uma desinformação. Para utilizá-la é simples: basta acessar ‘www.confere.ai’ e colar o link ou texto a ser checado. Você receberá como resposta o nível de desinformação presente no conteúdo checado, que pode ir de mínimo - selo para links ou textos com poucos indícios de serem enganosos - a crítico, para notícias com muitas características de desinformações.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias