recuperação

Após ser alvo de vandalismo, escultura de Ariano Suassuna é recolocada no Recife

A obra, que integra o Circuito da Poesia da capital pernambucana desde 2017, havia sido danificada por ação de vândalos em setembro

JC
JC
Publicado em 12/11/2020 às 18:08
Notícia
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A escultura em homenagem ao escritor Ariano Suassuna voltou a compor o cenário recifense - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A escultura em homenagem ao escritor Ariano Suassuna voltou a compor o cenário recifense. Ela foi recolocada na Rua da Aurora, em Santo Amaro, na Área Central da cidade, pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), nessa quarta-feira (11), após ter sido danificada por ação de vândalos no dia 21 de setembro.

A obra, que integra o Circuito da Poesia da capital pernambucana desde 2017, foi restaurada pelo artista plástico responsável por sua criação, Demétrio Albuquerque. O serviço de recuperação garantiu a integridade dos traços originais da escultura, confeccionada em cimento estruturado, que mede 1,80 e pesa entre 250 e 300 quilos. Durante a ação de vandalismo, foram quebradas as pernas da estátua, para forçar a sua derrubada, o que comprometeu a peça até a cintura.

>> Estátua de Ariano Suassuna não é a única vandalizada; veja como estão as esculturas do Circuito da Poesia

>> As imagens da escultura de Ariano Suassuna quebrada e vandalizada no Centro do Recife

A Prefeitura do Recife não sabe informar o valor do serviço, que foi custeado por meio de uma parceria feita entre a família do escritor com uma empresa privada. Foram 51 dias sem a escultura no Centro do Recife. 

Além da homenagem à Ariano Suassuna, o Circuito da Poesia contempla esculturas, em tamanho real, de  artistas da música e da literatura. O projeto possui estátuas de Clarice Lispector, João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira. A obra em homenagem ao escritor paraibano foi colocada em frente ao Teatro do Arraial, inaugurado por Ariano em 1997, e que, desde 2004, leva o seu nome.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A escultura em homenagem ao escritor Ariano Suassuna voltou a compor o cenário recifense - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
Ela foi recolocada na Rua da Aurora, em Santo Amaro, na Área Central da cidade, pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), nessa quarta-feira (11) - FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
BETO DLC/JC IMAGEM
A escultura do escritor foi danificada por ação de vândalos no dia 21 de setembro - BETO DLC/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
A obra, que integra o Circuito da Poesia da capital pernambucana desde 2017, foi restaurada pelo artista plástico responsável por sua criação, Demétrio Albuquerque - FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
O serviço de recuperação garantiu a integridade dos traços originais da escultura, confeccionada em cimento estruturado, que mede 1,80 e pesa entre 250 e 300 quilos - FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
A Prefeitura do Recife, não sabe informar o valor do serviço, que foi custeado por meio de uma parceria feita entre a família do escritor com uma empresa privada - FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE
Foram 51 dias sem a escultura no Centro do Recife - FELIPE RIBEIRO/JC ONLINE

Ariano Suassuna

Nascido no ano de 1927, na cidade de Taperoá, no interior da Paraíba, Ariano radicou-se em Pernambuco ao ponto de se intitular "o paraibano mais pernambucano que existe". Era torcedor ferrenho do Sport e costumava frequentar a Ilha do Retiro para ver jogos do time do coração.

Dentre as suas obras mais conhecidas estão O Auto da Compadecida, publicado em 1957, e A Pedra do Reino, de 1971. Os dois viraram séries na Rede Globo. Em 2015, desenhos criados por Ariano em 1970 foram descobertos. Eram mapas, brasões, bandeiras, personagens.

Vandalismo

De acordo com a Emlurb, a Prefeitura do Recife chega a gastar aproximadamente R$ 2 milhões por ano para recuperar monumentos, pontes e edificações públicas que sofreram ações de pichação e vandalismo. Ainda segundo a Autarquia, esse montante seria o suficiente para construir duas Upinhas por ano ou ainda construir uma escola padrão, bem como duas creches. O valor seria ainda suficiente para a implantação de cerca de 1.700 novos pontos de iluminação em LED, ou ser utilizado na requalificação de cerca de 20 escadarias com inclusão de corrimão. 

 

 

 

 

Comentários

Últimas notícias