absurdo

Fotógrafo "fura fila" da vacina contra a covid-19 em Jupi, interior de Pernambuco; SES vai pedir investigação

Investigação deve contar com o apoio do Ministério Público de Pernambuco e da Secretaria de Defesa Social

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 19/01/2021 às 15:10
Notícia
REPRODUÇÃO/INTERNET
Secretaria Estadual de Saúde, com apoio do Ministério Público de Pernambuco e Secretaria de Defesa Social, investigam caso de homem ter tomado vacina contra covid-19 sem fazer parte do grupo prioritário - FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET
Leitura:

Atualizada às 19h57

O início da vacinação contra a covid-19  trouxe esperança aos pernambucanos, mas também deu espaço à revolta nesta terça-feira (19). Isso porque circula na internet um vídeo que mostra um fotógrafo, que não integra o grupo prioritário de imunização, sendo vacinado contra o novo coronavírus na cidade de Jupi, no Agreste de Pernambuco. A Secretaria Estadual de Saúde afirmou que irá investigar o caso, junto à Secretaria de Defesa Social e Ministério Público, para que os responsáveis sejam punidos.

>> Vacinação de arquiteta em Hospital de Referência à Covid-19 no Recife gera polêmica

>> Para evitar desvios, MPPE decide fiscalizar vacinação em todo o Estado

"Neste primeiro momento, devem ser imunizados contra a covid-19 trabalhadores de saúde da linha de frente do enfrentamento ao novo coronavírus, além dos vacinadores, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência institucionalizadas e indígenas aldeados. Todos já receberam a primeira e a segunda dose para realizar suas ações nessa primeira fase", disse a SES, em nota.

Em entrevista ao site da Rádio Jornal, o homem, identificado como Guilherme, falou sobre o ocorrido. "Eu me arrependo, foi uma falta de empatia. Não terei coragem de tomar de novo", disse. No entanto, em seguida, ele negou ter recebido a dose do imunizante e pediu para que o assunto fosse esquecido.

Em nota, a Prefeitura de Jupi ressaltou que repudia qualquer ilegalidade na não observação do plano de imunização e disse que "adotará todas as medidas para que sejam rigorosamente respeitadas as prioridades da vacinação contidas no plano estadual e municipal de imunização, não tolerando qualquer uso da vacina de forma ilegal, bem como tomando as medidas cabíveis contra os envolvidos no lamentável fato, se devidamente comprovado".

O prefeito da cidade, Marcos Patriota (DEM), informou à reportagem do JC que tanto o fotógrafo quanto a secretária de Saúde "foram afastados de seus cargos imediatamente".

>> Me arrependo. Não terei coragem de tomar de novo, diz fotógrafo que furou fila da vacina da covid-19 em Jupi, Pernambuco

Veja o vídeo do homem tomando a vacina:

 

A Prefeitura de Jupi recebeu 136 unidades da vacina contra a covid-19 para as duas doses de 68 profissionais de saúde que atuam no município, segundo a SES-PE. Esse quantitativo de profissionais representa cerca de 1/3 dos trabalhadores de saúde da cidade.

Procurada pelo JC, a Secretaria de Defesa Social afirmou que a "Delegacia de Jupi não recebeu a denúncia, mas, antecipando-se aos fatos, o delegado da cidade já oficiou a Secretaria Municipal de Saúde para prestar informações sobre o caso". A reportagem também tentou entrar em contato com a Secretaria de Saúde de Jupi e com o homem que aparece no vídeo sendo vacinado, mas ambos desligaram os telefones.

MPPE recebe denúncia

O MPPE afirmou que recebeu a denúncia de que não só o cidadão em questão, mas também a secretária de Saúde de Jupi, tomaram a vacina sem fazer parte do grupo prioritário. "Estamos investigando porque ainda não temos a certeza de que eles não fazem parte do grupo prioritário, mas provavelmente não fazem", disse a promotora de de Jupi, Adna Vasconcelos.

De acordo com a promotora, também será apurado se o homem é funcionário da prefeitura do município ou apenas presta serviço para ela. Caso ele seja funcionário e seja comprovado que tenha tomado a vacina sem fazer parte do grupo prioritário, ele deverá responder por possível improbidade administrativa, assim como a secretária de saúde.

"Se ele for servidor pode responder por abuso de autoridade, porque é um privilégio que não é previsto por lei", explicou a promotora. Os profissionais de saúde que aplicaram a vacina também podem ser responsabilizados por cometer o crime de improbidade administrativa.

Resposta da Prefeitura de Jupi

"A Prefeitura Municipal de Jupi vem a pública esclarecer e se posicionar acerca do vídeo que circula nas redes, em que suspostamente um agente público, que não faria parte do público prioritário, teria recebido a vacina Coronavac, na data de hoje (19/01), em que nosso município iniciou a campanha de imunização à covid-19.

Em primeiro lugar, recebemos o primeiro lote contendo 136 doses de vacinas endereçadas ao município de Jupi, que foram entregues à Secretaria de Saúde desta cidade para que implementasse a fase de vacinação contida respectivamente no plano de imunização. Ao tomar conhecimento do vídeo, o prefeito do município de Jupi determinou o imediato afastamento do agente público envolvido, prescrito pela Portaria GP nº 082/2021, com o intuito de preservar a si e a gestão para a isenta apuração dos fatos.

Cabe esclarecer que a gestão repudia totalmente qualquer ilegalidade na não observação do plano estadual e municipal de imunização, principalmente em relação à vacinação dos profissionais de saúde que estejam no combate à covid-19.

Por fim, a gestão se solidariza com todos os munícipes e pede desculpas por fatos que por ventura venham a se comprovar. A gestão adotará todas as medidas para que sejam rigorosamente respeitadas as prioridades da vacinação contidas no plano estadual e municipal de imunização, não tolerando qualquer uso da vacina de forma ilegal, bem como tomando as medidas cabíveis contra os envolvidos no lamentável fato, se devidamente comprovado."

Repercussão nas redes sociais

No Twitter, vários internautas comentaram sobre o caso com indignação. "Uma várzea completa e uma desconsideração enorme com a população. Aliás, são tão inteligentes que ainda tiram foto de uma barbaridade dessas e explanam em redes sociais", escreveu um usuário da rede.

Uma página sobre notícias da cidade também falou sobre história. "Jupi só fica famoso por causa dessas notícias ruim, ja perceberam? Absurdo esse caso da vacina", disse.

Leia a nota da Secretaria Estadual de Saúde:

"Sobre o caso de um fotógrafo sendo vacinado, fora do grupo prioritário na cidade de Jupi, no Agreste Meridional de Pernambuco, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informa que vai solicitar apoio ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e à Secretaria de Defesa Social para que o caso seja investigado e, se confirmada a imunização fora do grupo prioritário, com desvio de finalidade, os responsáveis sejam punidos.

A SES-PE lembra que pactuou com os municípios pernambucanos, na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), o público prioritário da vacinação contra a Covid-19 neste primeiro momento da campanha, de acordo com o plano nacional de vacinação. Neste primeiro momento, devem ser imunizados contra a Covid-19 trabalhadores de saúde da linha de frente do enfrentamento ao novo coronavírus, além dos vacinadores, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência institucionalizadas e indígenas aldeados. Todos já receberam a primeira e a segunda dose para realizar suas ações nessa primeira fase.

No caso de Jupi, foram encaminhadas 136 unidades da vacina para as duas doses de 68 profissionais de saúde que atuam nos serviços da cidade. Esse quantitativo de profissionais representa cerca de 1/3 dos trabalhadores de saúde do município. Os outros profissionais serão contemplados assim que houver mais entregas pelo Ministério da Saúde."

 

Comentários

Últimas notícias