CHUVA

Após madrugada de chuvas, água invade casas e população sofre com alagamentos no Grande Recife

A localidade em que mais choveu foi Torrinha, no Cabo de Santo Agostinho

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 15/02/2021 às 8:16
Notícia

JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - FOTO: JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Leitura:

Com informações dos repórteres Cinthia Ferreira e Leonardo Vasconcelos, da TV Jornal

A madrugada e manhã desta segunda-feira (15) não foram fáceis para muitos pernambucanos. Isto porque, sob fortes chuvas, casas e ruas amanheceram alagadas. O monitoramento da Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) mostra que as nove cidades que mais choveram são da Região Metropolitana do Recife. No interior, aconteceram precipitações esporádicas.

"Tivemos uma pancada de chuva durante a madrugada bem localizada, restrita à região do litoral, pegando, principalmente, os municípios do Recife, Jaboatão, Camaragibe e em alguns pontos do município do Cabo. A tendência é de redução gradativa das chuvas. No Recife já começou a diminuir; em Camaragibe também. Agora, a chuva está um pouco mais para o Cabo, Ipojuca. Nosso monitoramento mostra que a chuva vai reduzir gradativamente nas próximas horas", explicou o meteorologista Roni Guedes.

Moradores do bairro da Rua Marialva, que fica em cima de um canal no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife, tiveram suas casas invadidas pela águas e perderam móveis e eletrodomésticos. Obras de pavimentação estão sendo realizadas na via pela prefeitura. Um dos trechos ainda precisa ser concluído. Para moradores, escoramentos de madeira no canal, que acumularam lixo, foram o motivo da enchente.

Ângela Maria foi uma das prejudicadas. "Eu acordei com a vizinha gritando, me chamando, pensei que era outra coisa. Quando pulei da cama e botei os pés no chão, [vi] lama, água, a casa inundada, um mau cheiro insuportável. Começou o desespero de todo mundo, sem poder sair. Quando a água cedeu foi que a gente começou nossa luta; a limpar, tirar a lama, os vizinhos saíram ajudando os outros", conta.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamento na Rua Marialva, no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM
Alagamento em Camaragibe, no Grande Recife - JAILTON JUNIOR/JC IMAGEM

Além disto, a chuva danificou alguns dos móveis dela. "O guarda-roupa, a cama e o sofá molharam embaixo, mas não tanto quanto meus vizinhos, que perderam sofá, fogão, geladeira boiou. A minha colega gestante perdeu tudo do quarto do menino dela, está em um desespero só, porque vai nascer agora em março. A gente está nessa luta, pedindo que não chova", disse.

A cabeleireira Leide Ferraz, que está gravida de oito meses, viu parte do enxoval do filho ser levado pelas águas. "O desespero foi enorme. Eu só pensava no quartinho dele, porque pedi para montar tem uns 15 dias, e eu não imaginava, de forma nenhuma, que isso pudesse acontecer. Eu moro aqui desde os meus 11 anos de idade e isso nunca aconteceu aqui", conta.

Por meio de nota, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) informou que os alagamentos ocorridos na Rua Marialva ocorreram devido ao "descarte incorreto de lixo no canal existente na via, cuja limpeza é bastante dificultada por causa de ocupações irregulares em suas margens".

A Emlurb também informou que no segundo semestre de 2020, uma intervenção com investimentos da ordem de R$ 1 milhão para recuperar a laje do canal da Rua Marialva foi iniciada. "A obra já está com 50% dos serviços concluídos, com previsão de término para abril deste ano. A Emlurb alerta, por fim, que é necessária a conscientização da população quanto ao descarte irregular de lixo, que agrava ainda mais o escoamento da água e gera transtornos em diversos locais da cidade", informou.

Segundo monitoramento da Apac, a localidade onde mais choveu no Estado foi Torrinha, no Cabo de Santo Agostinho. Nas últimas 24h, o ponto acumulou 106,08 mm de precipitação. O município foi o mais afetado pela chuva desta segunda. Alguns bairros, ficaram completamente alagados. Em Cidade Garapu, alguns moradores ficaram ilhados. Já no bairro de Pirapama, motoristas de ônibus tiveram dificuldade para circular por conta do nível da água no local. 

O segundo local do Estado que foi mais castigado pela chuva foi a Vila da Fábrica, em Camaragibe. Por lá, choveu 86,53 mm nas últimas 24h. Na cidade, o volume de água representou quase 70% do esperado para todo o mês de fevereiro. No bairro de Alberto Maia, ruas e avenidas ficaram completamente alagadas. Uma casa situada no no antigo aterro do lixão, no bairro de Céu Azul, desabou. A moradora da casa foi acolhida e abrigada na casa da vizinha. A vizinhança realizou um protesto na Dr. Belmino Correia cobrando providências do poder público.

A Defesa Civil da cidade afirmou que está no local dando suporte e realizando a retirada dos móveis da casa. Segundo a prefeitura, não há famílias desabrigadas e nenhuma outra ocorrência. Duas árvores também caíram por causa das chuvas, e estão sendo retiradas do local. 

Moradora do município, a dona de casa Cristina Carneiro viu a água inundar metade da casa. "Não é a primeira vez que acontece isso, mas hoje foi pior. Quando a gente acordou, já foi água invadindo, arrastando portão, móvel, a gente entrou em desespero e não sabemos o que fazer, porque acabou móvel, geladeira, máquina, colchão, e a gente não tem nada. Acabou tudo. A gente pede a prefeitura, e ninguém resolve nada", relata.

Por nota, a Secretaria de Defesa Civil de Camaragibe informa que o índice pluviométrico de toda a cidade bateu 89 milímetros de chuva em menos de 12 horas, e que esta foi a causa dos alagamentos em pontos mais baixos da cidade. A pasta afirma que as barreiras estão secas e não há "grande perigo de deslizamentos até o momento. Apesar disso, as equipes técnicas já estão espalhadas pela cidade realizando o serviço de colocação de lona nos principais pontos de alto risco".

"A prefeitura ressalta que as equipes da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos continuam realizando serviços de manutenção em toda cidade, com limpeza de canais, galerias e caixas coletoras. Ao todo, foram limpos aproximadamente dez quilômetros de canais. As equipes de corte e poda de árvores da Defesa Civil também seguem realizando a erradicação de árvores em risco pela cidade", disse.

Moradores de Camaragibe devem acionar a Defesa Civil por meio do telefone 2129-9564 em caso de emergência. O número também funciona como WhatsApp e esta disponível das 7h as 19h. Caso seja necessário atendimento após esse horário, está disponível o canal *199.

O Curado II, em Jaboatão dos Guararapes, foi o terceiro local em que mais choveu em Pernambuco de domingo para segunda, com acumulado de 83,73 mm.

Made with Flourish

Previsão do tempo

A previsão do tempo para esta segunda-feira (15), segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), é de tempo parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada e com intensidade fraca
em toda a Região Metropolitana do Recife (RMR). A Mata Norte e a Mata Sul também seguem com a mesma previsão.
No Agreste, o céu fica parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada e com intensidade fraca. Já no Sertão de Pernambuco, o tempo fica parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada. O mesmo vale para o Sertão do São Francisco.

"Temos previsão de chuva para a região do Sertão hoje à tarde e à noite, amanhã também. Está começando a chegar o período chuvoso do estado de Pernambuco. As condições atmosféricas estão começando a se modificar lentamente, a atmosfera está ficando mais úmida, e vai ficar mais favorável às chuvas, principalmente durante a madrugada e a noite no litoral", afirma o meteorologista Roni Guedes.
O arquipélago de Fernando de Noronha registra céu fica parcialmente nublado e sem chuva.

Comentários

Últimas notícias