tristeza

Corpo de bebê morto após ser baleado na Zona Norte do Recife é sepultado nesta quarta-feira (15)

Suspeita é de que o primo da vítima, de 11 anos, tenha atirado por acidente

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 15/09/2021 às 13:49
Notícia
Severino Soares / TV Jornal
Menino foi sepultado no Cemitério da Várzea - FOTO: Severino Soares / TV Jornal
Leitura:

Com informações de Emerson Pereira, da TV Jornal

Familiares e conhecidos se reuniram no Cemitério da Várzea, na Zona Oeste do Recife, na manhã desta quarta-feira (15), para se despedir do bebê de 1 ano e 5 meses, que morreu após ser atingido por um tiro de espingarda, disparado pelo primo, de 11 anos na última segunda (13). A tragédia ocorreu no bairro de Sítio dos Pintos, na Zona Norte da capital.

Durante o velório, as pessoas presentes no local realizaram orações e cantaram louvores. O sepultamento do corpo da criança ocorreu às 10h30, ao som de aplausos. Para o pai do bebê, o que fica agora é a saudade. 

"Foi um acidente que ninguém imaginava. Ninguém sabia o que estava dentro da arma. Ele [o garoto que atirou] gostava muito do meu filho, brincava com ele. Foi uma falta de cuidado e, agora, só Deus sabe. Ninguém vai trazer meu filho de volta: nem justiça, nem médicos", desabafou o pai, que não quis ser identificado, em entrevista à TV Jornal.

Uma vizinha da família, que também não quis ser identificada, lamentou a morte do bebê e disse que toda comunidade está impactada com o ocorrido. "São duas crianças. O bebê era saudável, divertido, brincalhão, que todos nós conhecíamos, e hoje vemos essa tristeza no nosso bairro", disse.

Tragédia

A criança de 1 ano e 5 meses morreu após ter sido atingido no peito por um tiro de carabina, disparado por um primo, de 11 anos, que estava manuseando a arma de fogo, na companhia de outro primo, de 13 anos. Os dois teriam pego a arma, que estava em um quarto desativado no primeiro andar da residência. A criança chegou a ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá e encaminhada posteriormente ao Hospital da Restauração, no Derby, mas não resistiu aos ferimentos.

A Polícia Civil de Pernambuco investiga o caso, que está sendo tratado como acidente. Há, pelo menos, três hipóteses do que teria ocorrido. A primeira é de que o menino de 11 anos teria levantado a espingarda e ela disparou acidentalmente.

Já a outra versão é de que ele teria perguntado ao de 13 anos se a arma estava carregada e, acreditando que não estava funcionando, atirou contra o bebê. A terceira hipótese é de que ele teria acionado o gatilho para ouvir o barulho, mas, sem querer, acertou o menino de 1 ano e 5 meses.

O garoto de 13 anos já foi ouvido pelas autoridades policiais. O de 11, no entanto, ainda irá contar detalhes à polícia. Isso porque, de acordo com a família, ele se encontra em trauma e, por isso, irá precisar de uma escuta especializada.

 

Comentários

Últimas notícias