ABUSO INFANTIL

Médico, sócio de escola e mais duas pessoas são presas em Pernambuco suspeitas de envolvimento com pornografia infantil

Este foi o resultado de operação da Polícia Civil com o objetivo de combater a pedofilia e o abuso infantil

Vanessa Moura
Cadastrado por
Vanessa Moura
Publicado em 23/09/2021 às 11:22 | Atualizado em 23/09/2021 às 20:31
Divulgação/PCPE
Delegada Inalva Regina, gestora DPCA. Perito Criminal , Eduardo Teixeira, representante Instituto de Criminalistica. Delegada Morgana Alves, diretora adjunta DIRESP. Delegado Ramon Teixeira, representante do DRACCO - FOTO: Divulgação/PCPE
Leitura:

Quatro suspeitos, entre eles um médico e um sócio de escola infantil, foram presos durante a Operação de Intervenção Tática denominada "Luz na Infância", da Polícia Civil de Pernambuco (PC-PE). 

A ação tem o objetivo de combater a pedofilia praticada através de aquisição e armazenamento de arquivos contendo material de abuso infantil. A operação acontece desde 17 de agosto deste ano e foi concluída nesta quinta-feira (23). 

Durante a operação, diversos mandados de busca e apreensão foram determinados pelas varas criminais do Recife, Olinda, Paulista, Camaragibe, Gravatá e Caruaru, culminando na prisão em flagrante dos quatro suspeitos, que foram encontrados com material pornográfico infantil. 

"O que mais chamou a atenção da equipe foi a quantidade. Foram mais de 2 mil vídeos relacionados à pornografia infantil. As vítimas podem tanto ser crianças daqui (de Pernambuco), quanto de outros estados. Tudo isso está sendo objeto de investigação da perícia criminal", falou o delegado Ramón Teixeira.

A gestora do DPCA e delegada, Inalva Regina, alertou para que as famílias fiquem atentas ao comportamento das crianças e sempre monitorem elas enquanto estão utilizando celular ou acessando a internet. "É importante que a criança saiba que ela está sendo monitorada, não simplesmente para tirar sua privacidade, mas sim, por uma questão de zelo e cuidado. Pais, monitorem e não facilitem porque o risco é muito grande", destacou.

A operação foi vinculada à Diretoria Integrada Especializada (DIRESP), sob a presidência do Delegado Eronides Meneses, Titular da Delegacia de Crimes Cibernéticos (DPCRICI), integrante do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO).

Comentários

Últimas notícias