METEOROLOGIA

Governo Federal reconhece situação de emergência em cidade do Agreste de Pernambuco

O estado de emergência autoriza que os municípios solicitem recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atender à população afetada

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 23/05/2022 às 15:03 | Atualizado em 23/05/2022 às 15:09
GESSIRA MACENA/GOOGLE IMAGENS/REPRODUÇÃO
imagem de Cupira, no Agreste do Estado - FOTO: GESSIRA MACENA/GOOGLE IMAGENS/REPRODUÇÃO
Leitura:

Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu, nesta segunda-feira (23), situação de emergência em Cupira, no Agreste de Pernambuco, pelo longo período de estiagem. Além dela, outras 13 cidades do Nordeste atingidas por desastres naturais também entraram na categoria.

O estado de emergência autoriza que os municípios solicitem recursos do MDR para atender à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Quanto choveu em Cupira?

Até o dia 23 de maio, choveu cerca de 48% da média mensal em Cupira, que é de 113.1 milímetros ((ou seja, 49,5 milímetros). Essa é uma tendência observada no Agreste como um todo, segundo o meteorologista Fabiano Prestrelo, da Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac).

“Percebemos que praticamente todos os municípios do Agreste estão com chuva abaixo da média, contrariando o que estávamos esperando para este ano, que eram chuvas dentro da média ou acima, porque tivemos condições oceânicas favoráveis para isso”, comentou.

No entanto, a previsão indica que deve chover nesta última semana do mês. “O Nordeste como um todo depende de eventos extremos para alcançar essa média de chuva. Normalmente duas ou três chuvas intensas são responsáveis por toda a média do mês. Como temos previsões favoráveis à chuva até o final da semana, então é possível que alcancem a média”, explicou.

Quais cidades estão sob situação de emergência?

Das 14, onze foram atingidas pela estiagem. São elas: Araci, Jequié e Campo Alegre de Lourdes, na Bahia; Potiretama, no Ceará; Cupira, em Pernambuco; Vera Mendes e Curral Novo do Piauí, no Piauí; e Ouro Branco, Senador Elói de Souza, São José do Campestre e Carnaúba dos Dantas, no Rio Grande do Norte.

Afetadas pela seca, que é considerada um estado de ausência de chuvas mais intensa do que a estiagem, as cidades de Santo Antônio, no Rio Grande do Norte, e Tobias Barreto, em Sergipe, também tiveram a situação de emergência reconhecida. Ainda, Gentio do Ouro, na Bahia, obteve o reconhecimento federal devido a chuvas intensas.

Comentários

Últimas notícias