ELEIÇÕES 2020

Para Odacy Amorim, Miguel Coelho esconde aliança com Bolsonaro em Petrolina

O ex-deputado que pretende ser prefeito de Petrolina fez críticas à gestão de Miguel Coelho, falou de alianças entre PT e PSB e de Bolsonaro. Confira

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 04/03/2020 às 14:56
Notícia
FOTO: DIVULGAÇÃO
Odacy Amorim preside o IPA em Pernambuco - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

O presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Odacy Amorim (PT), alfinetou o atual prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), alegando que Miguel esconde a aliança que tem com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "O prefeito é um pouquinho envergonhado de se colocar como aliado do presidente Bolsonaro e certamente os eleitores de Bolsonaro estão vendo isso", afirmou o petista.

Hoje o pai de Miguel Coelho, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), é líder do Governo Bolsonaro no Senado e trouxe a Petrolina o presidente e ministros do governo federal como Gustavo Canuto, quando estava à frente do Desenvolvimento Regional, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

>> Em Petrolina, Paulo Câmara é vaiado e Bolsonaro diz que Brasil é 'um só'

Na visão de Odacy, os recursos federais na cidade estão "sufocando" outras cidades do Sertão. "O gestor atual (Miguel Coelho) está se escondendo atrás dos convênios federais, da força política e muitas vezes sufocando as cidades da região. A Codevasf, por exemplo, se tornou uma secretaria de Petrolina, poderia estar saneando as áreas irrigadas, mas não há um palmo de saneamento", afirmou Odacy. O povo de Petrolina vai saber separar, deixa Miguel ir trabalhar com Bolsonaro e me bote na prefeitura que a cidade vai ter outra força", completou.

>>'Essa briga domiciliar não é nosso caso', diz Miguel Coelho sobre PSB em Petrolina

Confira a entrevista com Odacy Amorim:

PT e PSB

Outro assunto tratado no programa foi uma possível aliança entre PT e PSB para disputar a Prefeitura de Petrolina nas Eleições 2020. Odacy disse não haver problema em apoiar uma candidatura do deputado estadual Lucas Ramos (PSB) a prefeito de Petrolina, caso PT e PSB cheguem a um entendimento para a cidade. No entanto, Odacy se mostrou disposto a ele mesmo ser o candidato e lembrou, durante o programa Resenha Política desta quarta-feira (4), que teve a maior votação na cidade para deputado federal em 2018. Mesmo não se elegendo, o petista obteve pouco mais de 30 mil votos na cidade e conseguiu eleger sua esposa, Dulcicleide Amorim, para uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

"Não queremos tirar a importância do deputado Lucas. Mas temos de construir o futuro, ele é muito jovem. Eleição é projeto, o PSB irá ter uma candidatura? Eu irei respeitar. Vai haver uma aliança no primeiro turno? Seria muito bom. Estou aberto para conversar com Lucas. Se fosse uma construção dentro da aliança não teria dificuldade em apoiá-lo. Mas, os resultados eleitorais de Petrolina que apontam para a necessidade de uma candidatura nossa. Eu fui o deputado mais votado de petrolina tive mais votos do que Fernando Filho. Se o PSB for ter candidato entendo que é ele, mas não vejo como um bicho de outro mundo recebermos um apoio", comentou Odacy.

O deputado Lucas Ramos fez queixas contra seu próprio partido, na últimas semana, por não ter ainda a confirmação de sua pré-candidatura a prefeito de Petrolina, no Sertão. Segundo Lucas, sua pré-candidatura estaria sendo barrada por vontade de Geraldo Júlio (PSB), prefeito do Recife. O objetivo, segundo o deputado, seria o PSB apoiar Odacy Ramos, para que a candidatura do PT no Recife, da deputada federal Marília Arraes, seja retirada.

Comentários

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Newsletters

Fique por dentro de tudo que acontece, assine já as nossas Newsletters.

Últimas notícias