Enem

Bolsonaro sugere 'esperar um pouquinho' para decidir sobre adiamento do Enem

A Câmara dos Deputados pautou uma votação da urgência e mérito de outro projeto para adiar a realização das provas

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 20/05/2020 às 11:36
Notícia
MARCOS CORRÊA/PR
O governo federal tem feito campanha contra o adiamento do Enem - FOTO: MARCOS CORRÊA/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro sugeriu nesta quarta-feira (20) que se espere "um pouquinho" para decidir sobre um possível adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). "Vamos esperar um pouquinho mais, é muito cedo. Nós estamos agora em maio, é novembro (o exame), espera um pouquinho mais para tomar decisão", disse a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

>> Ministro da Educação sugere que Enem seja adiado de 30 a 60 dias

"A prova do Enem, que alguns querem adiar, eu acho que nós temos que ouvir os que vão fazer a prova", afirmou. Na terça-feira, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, postou em suas redes sociais que o governo abrirá consulta aos estudantes que se inscreveram no Enem para saber se preferem manter a data da prova ou adiar por 30 dias.

O presidente chegou a perguntar a opinião de uma apoiadora que disse que faria o exame. A mulher respondeu que preferia o adiamento. Depois, o presidente também indagou os populares: "A eleição (municipal) vai adiar também?", perguntou. Sem resposta, Bolsonaro não entrou em detalhes no assunto dos pleitos, marcados para outubro.

>> Você é a favor ou contra o adiamento do Enem por conta da pandemia do coronavírus?

Ontem, o Senado aprovou o adiamento do Enem. A proposta, contudo, não estabelece uma nova data, mas prevê que em caso de estado de calamidade, como o atual, os processos seletivos para a educação superior serão prorrogados.

O texto segue para Câmara, onde o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) pautou para a sessão desta quarta-feira (20) a votação da urgência e mérito de outro projeto para adiar a realização das provas.

>> Governo Federal diz que manter calendário de Enem é "liberdade de escolha"

Educação

Em resposta a uma apoiadora que pediu para o presidente "olhar pela Educação", Bolsonaro destacou que a educação do País foi "destruída" nos últimos 30 anos.

"Você sabe que nos últimos 30 anos destruíram a educação no Brasil. Eu não tenho como fazer assim (gesticulou com as mãos) e resolver de uma hora para a outra. Muita coisa já mudou na educação. Não à toa que o ministro da Educação é um dos mais atacados do governo" disse. Bolsonaro opinou que por Weintraub ser "atacado" pela mídia, é um sinal de que o ministro "está fazendo a coisa certa".

O presidente comentou o desempenho do Brasil no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). "Teve as provas internacionais do Pisa. Estamos não nos (últimos), é no último lugar. De 70 países, aproximadamente, estamos lá embaixo. Estamos tentando mudar isso aí", disse.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias