Ceará

Governador Camilo Santana evita acompanhar Bolsonaro em visita ao interior do Ceará

Governador cearense não só se recusou acompanhar Bolsonaro como decidiu não enviar representante

Gabriela Carvalho
Gabriela Carvalho
Publicado em 26/06/2020 às 12:24
Notícia
José Cruz/Agência Brasil
Governador do Ceará, Camilo Santana - FOTO: José Cruz/Agência Brasil
Leitura:

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT) recusou convite para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao interior do Ceará, nesta sexta-feira (26), para inaugurar um trecho da transposição do rio São Francisco. Em live dessa quinta-feira (25) no Facebook, Bolsonaro afirmou que “convidou” tanto Santana quanto o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, para acompanhá-lo na visita. 

>> Bolsonaro visita Ceará e aciona água de transposição do rio São Francisco

Questionada pela reportagem do JC, a assessoria do governo Paulo Câmara afirmou que não tiveram "qualquer contato do cerimonial da presidência sobre esse evento", contradizendo informação dita por Bolsonaro.

O governador cearense fez publicação nas redes sociais comemorando a conclusão do projeto de transposição, mas justificou que só voltaria ao local após a superação da pandemia do coronavírus. O Ceará é o terceiro estado do Brasil com maior número de casos da covid-19 e que a região do Cariri, a qual Bolsonaro visitou, é uma das mais afetadas.

"Só após superarmos este grave momento de pandemia, que já atingiu mais de cem mil irmãos e irmãs cearenses, deverei voltar ao local da transposição, para ver de perto as águas do São Francisco já no nosso Cinturão das Águas, por onde seguirão para garantir segurança hídrica para a população cearense", dizia trecho da publicação.

Camilo Santana não só se recusou a acompanhar Bolsonaro como decidiu não enviar representante. A avaliação foi de que a presença de Santana ou qualquer integrante de sua gestão seria uma sinalização para a população cearense de que o governador não respeita o isolamento social imposto por ele próprio, segundo informações da CNN Brasil.


Comentários

Últimas notícias