Conheça a ex-eleitora de Bolsonaro que acusou presidente de traição da grade do Palácio do Alvorada

Atriz questionou presidente sobre número de mortes em frente ao Palácio da Alvorada nesta quarta-feira (10)

Gabriela Carvalho
Gabriela Carvalho
Publicado em 10/06/2020 às 13:19
Notícia
Reprodução/Twitter
A mulher que provocou o presidente foi a atriz Cris Bernart, 33, membro do MBL - FOTO: Reprodução/Twitter
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ignorou a manifestação de uma apoiadora e mandou ela se retirar após ser questionado sobre as cerca de 38 mil mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil, na manhã desta quarta-feira, 10, no Palácio da Alvorada. A mulher que confrontou Bolsonaro se chama Cris Bernart e faz parte de um pacote de ações contra o presidente elaborado pelo MBL (Movimento Brasil Livre), que tem se mobilizado em favor do impeachment do presidente. As informações são da Folha de S.Paulo.

>> Bolsonaro minimiza mortes por coronavírus e manda apoiadora que o questionou se retirar

A atriz Cris Bernart, 33, é membro do MBL e afirma ter votado em Bolsonaro na última eleição. Atualmente Cris trabalha no gabinete do vereador Fernando Holiday (Patriota), na Câmara Municipal de São Paulo.

A atriz explicou que a ação foi pensada em conjunto por ela e pelo movimento, e alega não ter ido como atriz e sim como eleitora decepcionada. Bernart destacou que não foi uma performance e não foi paga pela ação.

"Ele é o único chefe de estado que está tratando a covid-19 dessa forma. Eu já estava revoltada há muito tempo, me sentindo traída, como milhões de brasileiros. O MBL já tem ações programadas para pedir o impeachment e aproveitei que estava com tudo isso entalado para me juntar e fazermos essa ação", explicou.

No Palácio do Alvorada, Cris disse que o país tem hoje 38 mil famílias de luto e que sente que Bolsonaro traiu a população. O presidente se irritou, pediu para que ela se retirasse do local e cobrasse o governador de seu estado.

Cris disse que foi bastante hostilizada pelos apoiadores do presidente e se assustou quando um "homem enorme" pediu que ela "calasse a boca". Ela afirmou que pediu para sair do local antes dos demais, com medo de ser agredida fisicamente.

"Saí fugida, foram bem agressivos verbalmente. Se pudessem me pegar na esquina, pegariam", afirmou.


Comentários

Últimas notícias