Ex-presidente

FHC defende STF e pede que País, povo e lei sejam defendidos "antes que seja tarde"

"Minha solidariedade ao STF é total", disse FHC após protestos contra a Suprema Corte

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 14/06/2020 às 22:01
Notícia
Wilson Dias/Agência Brasil
O ex-presidente se manifestou após protestos - FOTO: Wilson Dias/Agência Brasil
Leitura:

O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso engrossou o coro de líderes políticos em defesa do Supremo Tribunal Federal (STF) e, em uma mesma publicação no Twitter, disse que militares devem obediência à Constituição. "Minha solidariedade ao STF é total. Os fogos vistos no YouTube e a voz tremebunda atacando-o são contra a democracia. Gritemos: não ao golpismo! Os militares são cidadãos: devem obediência à Constituição como todos nós. Defendamos juntos Brasil, povo e lei, antes que seja tarde", relatou.

No episódio citado por FHC, militantes pró-Bolsonaro, pelo fechamento do STF e favoráveis ao golpe militar soltaram fogos de artifício na noite deste sábado, 13, sobre o Supremo, além de gritarem palavras de ordem contra ministros. Tudo foi gravado e divulgado em plataformas digitais.

Ministros da Corte também reagiram. Entre eles, Alexandre de Moraes relatou que o "STF jamais se curvará ante agressões covardes de verdadeiras organizações criminosas financiadas por grupos antidemocráticos que desrespeitam a Constituição Federal, a democracia e o estado de direito", e emendou: "A lei será rigorosamente aplicada e a Justiça prevalecerá", publicou o ministro.

Doria

Já o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também utilizou o Twitter para condenar o ocorrido neste sábado. "O ataque ao STF e seus ministros neste final de semana, envergonha o Brasil. Demonstra a face extremista de manifestantes, que menosprezam instituições e a Constituição. Transmito ao STF minha solidariedade e profundo repúdio aos manifestantes que agridem a democracia brasileira."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias