ELEIÇÕES 2020

Procuradoria Eleitoral recebe manifestação sobre vídeo em que secretário de Geraldo Julio cobra empenho para eleger João Campos

O secretário Marconi Muzzio afirma que "cada um aqui é profissional e sabe o que fez na sua área". Ele argumenta também que Marília Arraes (PT) não vai manter o legado da atual gestão. E conclui: "Senão ganharmos esta eleição, vai ter uma mudança radical de pessoal em todo mundo que está aqui do ponto de vista pessoal e também tenho convicção que as (atuais) políticas públicas não vão ser mantidas". Somente em uma situação, ele se refere ao grupo como "voluntários"

JC
JC
Publicado em 27/11/2020 às 17:32
Notícia

Reprodução
Secretário Marconi Muzzio cobra empenho de servidores - FOTO: Reprodução
Leitura:

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o secretário de Administração e Gestão das Pessoas da Prefeitura do Recife, Marconi Muzzio, pedindo a um grupo de pessoas vestidas com camisetas amarelas, num comitê de campanha, que se empenhem para "cobrar" dos "colegas" uma proatividade na eleição do candidato João Campos (PSB). Os vídeos também estão nos sites do G1 e do Valor Econômico. Nas filmagens, ele diz que nos próximos meses não tem mais feriado nem descanso. Pelo menos em duas situações, o secretário dá a entender que as pessoas que estão assistindo são servidores ou cargos comissionados na Prefeitura do Recife, administrada por Geraldo Júlio (PSB). Uma manifestação relativa aos vídeos foi apresentada à Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), ligada ao Ministério Público Federal. No entanto, a PRE é a segunda instância eleitoral e essa representação deverá ser encaminhada ao Ministério Público Eleitoral (MPE) que aguarda o recebimento dos autos.

Num dos vídeos, o secretário diz que a cobrança "não pode ser só de Ana Rita, Silvinho ou Rafael". Supostamente, Muzzio estava se referindo à secretaria de Assistência Social, Ana Rita Suassuna, ao procurador-geral do município, Rafael Figueiredo; e ao diretor Executivo da Procuradoria Geral do Município, Sílvio Lins, que estavam presentes ao evento. Ainda se dirigindo ao grupo, Muzzio acrescenta: "vocês tem legitimidade para cobrar dos outros".

Ainda de acordo com o vídeo, o secretário afirma que "cada um aqui é profissional e sabe o que fez na sua área". Ele argumenta também que Marília Arraes (PT) não vai manter o legado da atual gestão. E conclui: "Senão ganharmos esta eleição, vai ter uma mudança radical de pessoal em todo mundo que está aqui do ponto de vista pessoal e também tenho convicção que as (atuais) políticas públicas não vão ser mantidas". Somente em uma situação, ele se refere ao grupo como "voluntários". Muzzio é funcionário de carreira do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e está na Prefeitura do Recife desde 2012, quando começou a gestão de Geraldo Júlio.

RESPOSTA

Em nota, a Prefeitura do Recife informou que "não existe qualquer tipo de pressão ou influência para a participação de servidores em qualquer ato relativo às eleições municipais. Em relação ao servidor citado pela reportagem, ele encontra-se de férias. A Prefeitura do Recife mantém um posicionamento institucional diante de todo o processo eleitoral e a conduta dos seus servidores é regulamentada pela “Cartilha de Condutas Vedadas”, estabelecida pelo Decreto Municipal 33.757/2020, elaborada e divulgada pela Controladoria Geral do Município e Procuradoria Geral do Município. Os servidores municipais têm a liberdade assegurada para exercer seu direito e participar das eleições, dentro dos limites estabelecidos pela legislação", finalizou o documento.

Comentários

Últimas notícias