Ex-ministro

Governo Bolsonaro não tem ''mais desculpas'' para não andar com reformas, avalia Armando Monteiro

Armando Monteiro foi ministro da Indústria de Dilma e enxerga o governo Bolsonaro ''sem muito compromisso'' com as reformas

Cássio Oliveira Agência Câmara
Cássio Oliveira
Agência Câmara
Publicado em 03/02/2021 às 10:42
Notícia

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Armando Monteiro Neto foi ministro, deputado e senador. Atualmente, está sem mandato. - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no governo Dilma Rousseff (PT), Armando Monteiro Neto acredita que o governo Jair Bolsonaro não terá "desculpas" para não destravar a agenda de reformas, como a administrativa e tributária, após a eleição de dois aliados para a presidência tanto da Câmara, com Arthur Lira (PP), quanto do Senado, com Rodrigo Pacheco (DEM).

>> Lira e Pacheco devem levar documento de intenções a Bolsonaro

"Agora é uma boa hora para testarmos a real disposição do Governo Bolsonaro para tocar as reformas. O que temos visto até o momento é um governo sem muito compromisso com essa agenda, e que usava como justificativa a falta de sintonia com o Congresso Nacional. Agora, com a eleição dos novos presidentes da Câmara e do Senado, que são em princípio alinhados, o Governo não terá mais desculpas para fazer essa agenda se mover”, avalia Armando.

Para Armando Monteiro, o Brasil não pode perder mais tempo e precisa avançar simultaneamente nas reformas administrativa e tributária. “A reforma administrativa se impõe porque todos reconhecem que o Brasil precisa construir as bases de um Estado mais eficiente, e que possa oferecer especialmente melhores serviços à população”. Sobre a reforma tributária, Armando afirma que é um tema urgente. “Não tenho dúvida que para a retomada do crescimento econômico nós precisamos melhorar esse ambiente complexo e disfuncional que temos na área tributária. Precisamos de uma reforma tributária pró-crescimento”, reforça.

Vacinação e economia

DIVULGAÇÃO
Arthur Lira e Rodrigo Pacheco - DIVULGAÇÃO

Os presidentes Arthur Lira e Rodrigo Pacheco assinaram, nesta quarta-feira (3), um compromisso conjunto, em nome das duas Casas, de priorizar o combate ao coronavírus (covid-19), a busca pela universalização das vacinas e as pautas de recuperação econômica. O documento propõe que todos os recursos estejam disponíveis para que não falte vacina para a população brasileira. Eles também se comprometeram a discutir com todos os setores da sociedade uma agenda de reativação econômica do Brasil.

Rodrigo Pacheco destacou que tanto a Câmara quanto o Senado estão alinhados em priorizar as reformas tributária e administrativa, bem como a votação das propostas de emenda à Constituição (PECs) Emergencial, do Pacto Federativo e a que trata dos Fundos Públicos. Pacheco informou que vai cobrar dos relatores das PECs um prazo para entrega dos respectivos pareceres. Ele também disse que vai se reunir com os relatores da reforma tributária para estipular um prazo final para apresentação do relatório. “Vamos buscar a pacificação do País e das instituições”, disse Pacheco.

Lira afirmou que a declaração conjunta demonstra que o Legislativo vai trabalhar com diálogo e harmonia, respeitando a independência das duas Casas. “Trabalhando com muito diálogo, procurando agilizar as pautas necessárias ao nosso País. Neste momento, o foco é a união de forças no combate à maior crise econômica, sanitária e social do País e a busca pela vacina e a afirmação das pautas que destravarão a economia e beneficiarão os negócios e a geração de emprego e renda”, afirmou Lira.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Armando Monteiro Neto foi ministro, deputado e senador. Atualmente, está sem mandato. - FOTO:BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
DIVULGAÇÃO
Arthur Lira e Rodrigo Pacheco - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias