FNP

'Não realização do Censo 2021 custará muito caro ao Brasil', diz Frente Nacional de Prefeitos

Os dados populacionais são utilizados para os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e para uma série de outras transferências da União para estados e municípios

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 23/04/2021 às 20:34
Notícia
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A pesquisa não será feita este ano em razão da falta de orçamento - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) foi às redes sociais destacar que a não realização do Censo Demográfico 2021 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) custará muito caro ao País. A pesquisa, que acontece, em geral, a cada dez anos, não será feita este ano em razão da falta de verba, após corte no Orçamento. Os recursos necessários eram da ordem de R$ 2 bilhões.

"A não realização do Censo pelo IBGE custará muito caro ao país. É uma tragédia. Sem informações fidedignas e atualizadas, a efetividade das políticas públicas ficará comprometida. Para realizar pesquisas para fundamentar decisões, prefeitos e governadores precisarão construir alternativas que, certamente, irão onerar os já combalidos cofres dos entes subnacionais", diz a FNP.

Os dados populacionais do Censo são utilizados para os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e para uma série de outras transferências da União para estados e municípios. A última contagem da população foi realizada no Censo Demográfico de 2010. 

"Para realizar pesquisas para fundamentar decisões, prefeitos e governadores precisarão construir alternativas que, certamente, irão onerar os já combalidos cofres dos entes subnacionais", acrescentou a frente.

Em nota, o IBGE afirmou que retomará as tratativas com o Ministério da Economia para planejamento e para promover a realização do Censo em 2022. A respeito do processo seletivo dos censitários - Agente Censitário Municipal (ACM), Agente Censitário Supervisor (ACS) e Recenseador - o instituto anunciará as orientações assim que for possível.

Leia a íntegra da nota do IBGE

A Lei Orçamentária de 2021 foi sancionada sem a recomposição do orçamento original de R$ 2 bilhões para o Censo Demográfico 2021.

Conforme anunciado hoje pelo Secretário Especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, o orçamento 2021 não traz recursos para a realização do Censo Demográfico e que, portanto, o Censo será adiado.

O IBGE retomará as tratativas com o Ministério da Economia para planejamento e promover a realização do Censo em 2022, de acordo com cronograma a ser definido em conjunto com o ME.

Com relação ao processo seletivo dos censitários - Agente Censitário Municipal (ACM), Agente Censitário Supervisor (ACS) e Recenseador - o IBGE anunciará as orientações assim que for possível.

Comentários

Últimas notícias