BAHIA

Bolsonaro chama jornalista de idiota após ser questionado sobre 'CPF cancelado'

"O senhor foi criticado sobre uma foto postada dizendo 'CPF cancelado' num momento que tantas pessoas morreram. O que senhor tem a dizer sobre isso?", questionou a jornalista baiana

Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Publicado em 26/04/2021 às 17:26
Notícia
ALAN SANTOS/PR
Bolsonaro fala com a imprensa na Bahia, nesta segunda-feira (26) - FOTO: ALAN SANTOS/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou uma jornalista da TV Aratu de "idiota" depois que ela fez uma pergunta sobre a foto que ele tirou segurando uma imagem escrita CPF cancelado, no fim de semana. Bolsonaro veio a Feira de Santana nesta segunda-feira (26) para inauguração de um trecho da BR-101.

ALAN SANTOS/PR
Em Manaus, Bolsonaro aparece em foto com cartaz que simula umCPF com a palavra "cancelado" - ALAN SANTOS/PR

"O senhor foi criticado sobre uma foto postada dizendo 'CPF cancelado' num momento que tantas pessoas morreram. O que senhor tem a dizer sobre isso?", questiona Driele Veiga. "Você não tem o que perguntar não? Deixa de ser idiota", rebate Bolsonaro. "O presidente agredindo a repórter verbalmente", diz a jornalista para o apresentador Casemiro Neto. "Acabou de me chamar inclusive de idiota por conta de uma pergunta a respeito de uma foto publicada por ele, que ele recebeu muitas críticas por conta do momento que a gente vive com mais de 300 mil pessoas mortas (por covid)".

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) lamentou o comportamento do presidente, repudiando o fato dele chamar a repórter de idiota "somente por estar exercendo seu ofício que é entrevistar aquele investido em cargo público". Presidente da entidade, Moacy Neves afirmou que o xingamento revela uma faceta imatura e autoritária de Bolsonaro, que teria dificuldade em convier com a crítica e o contraditório.

“É comum que pessoas imaturas e políticos autoritários ajam com grosseria, falta de educação e violência quando confrontados com seus erros e irresponsabilidades, aumentando o grau de irracionalidade quando se tratar de um homem e do outro lado estiverem as mulheres”, diz ele. “A maior autoridade do país não pode incentivar desrespeito aos direitos humanos e nem agir com grosseria com a imprensa, que é os olhos e a forma de comunicação entre os poderes e a sociedade”, acrescenta.

A jornalista usou as redes sociais para se manifestar. "Uma mulher em pleno exercício da função ser chamada de idiota por um presidente da república, é um fato a se lamentar. Como disse o filósofo Nietzsche “O poder embrutece”. A autoridade representou no xingamento uma sociedade com uma estrutura ainda sexista e patriarcal em que homens acham que vão conseguir intimidar uma mulher com agressão verbal e/ou atitude desrespeitosa. A mim o xingamento não ofendeu. Só mostrou que estava no caminho certo. Sou jornalista e estou aqui para perguntar, por mais que a indagação incomode. Se fosse para agradar o entrevistado eu não seria jornalista e sim publicitária", escreveu.

Ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, também criticou a postura de Bolsonaro. "Quero me solidarizar com a jornalista Driele Veiga, a quem conheço bem e sei da seriedade, competência e educação. É fundamental que, em uma democracia, o presidente da República compreenda e respeite o papel da imprensa", disse Neto.

O governador Rui Costa foi outro a criticar Bolsonaro. "Ao invés de trabalhar, ele ataca governadores, ameaça as instituições, provoca aglomerações, despreza as vacinas. E continua agredindo jornalista. Lamentável. Minha solidariedade a Driele Veiga e a todos os jornalistas que têm convivido com essa rotina de ofensas do presidente", escreveu, nas redes sociais.

A Associação Baiana de Imprensa (ABI) divulgou nota dizendo que a mera esquiva à pergunta já seria "incompatível com o exercício da Presidência da República". "Agrava a conduta inconciliável com o decoro que se espera de quem tenha a honra de ser escolhido pela maioria do povo brasileiro, a assediosa agressão verbal contra a jornalista".

CPF cancelado
Bolsonaro posou para fotos exibindo um cartaz com a mensagem "CPF cancelado" na sexta-feira (23), em Manaus, ao lado de várias pessoas, incluindo o apresentador Sikêra Júnior, que tornou a expressão popular. A frase geralmente é usada para se referir a suspeitos mortos pela polícia.

Na ocasião, Bolsonaro foi criticado pela falta de sensibilidade de tirar uma foto com essa imagem em um momento com tantas mortes no país. A própria expressão também é alvo de críticas.

ALAN SANTOS/PR
A expressão "CPF cancelado" foi popularizada pelo apresentador de televisão Sikêira Júnior, com quem Bolsonaro já tirou uma foto junto com outras pessoas em Manaus, em abril deste ano, com um cartaz escrito com a frase - FOTO:ALAN SANTOS/PR

Comentários

Últimas notícias