Congresso Nacional

'Pode levar esses dois santinhos para longe de mim', diz Daniel Coelho sobre Renan Calheiros e Flávio Bolsonaro

Renan e Flávio tiveram um embate duro no Senado na última quarta, durante a reunião da CPI da Covid. Deputado pernambucano disse que "não quer troco" entre um e outro

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 13/05/2021 às 15:25
Notícia
MARYANNA OLIVEIRA/AG. CÂMARA
O deputado federal Daniel Coelho é líder do Cidadania na Câmara - FOTO: MARYANNA OLIVEIRA/AG. CÂMARA
Leitura:

Após os senadores Renan Calheiros (MDB) e Flávio Bolsonaro (REP) protagonizarem um embate duro durante a reunião da última quarta-feira (12) da CPI da Covid, o deputado federal Daniel Coelho (CID) usou o Twitter para comentar o episódio, deixando bem claro que não está do lado de nenhum dos dois parlamentares. "Entre Renan Calheiros e Flávio Bolsonaro, eu não quero o troco. Pode levar esses dois santinhos para longe de mim", cravou o pernambucano.

A confusão entre os senadores começou quando, mesmo não sendo integrante da CPI, Flávio pediu a palavra na sessão. Ao falar sobre o fato de Renan ter pedido a prisão do ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, o filho 01 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disparou: "Imagina a situação: um cidadão honesto ser preso por um vagabundo como Renan Calheiros. Olha a desmoralização".

Em reação ao insulto, o emedebista disse que um xingamento vindo de um parlamentar como Flávio seria um "elogio". "Vagabundo é você, que roubou dinheiro de pessoal no seu gabinete", declarou Renan.

>> Flávio Bolsonaro vai à CPI da Covid, pede vacina e chama Renan Calheiros de ''vagabundo''

>> CPI da Covid: Renan Calheiros pede prisão de Wajngarten

>> Em áudio, revista desmente declaração de Wajngarten na CPI da Covid

>> 'País poderia ter evitado tragédia', diz Randolfe ao avaliar depoimento em CPI

>> CPI da Covid: Gerente da Pfizer diz que primeira oferta de vacinas ao Ministério da Saúde foi feita em 14 de agosto

Depois que Daniel fez a publicação no seu Twitter, as reações foram quase que imediatas. Alguns dos seus seguidores apoiaram a sua colocação, mas muitos foram duros ao criticar a postura do deputado.

"O senhor está se saindo a maior água de salsicha. Quando teve a chance de ganhar pra prefeito de Recife se acovardou. Agora vem com esse papo? Vivemos em guerra. Posicione-se! Arrume um lugar na trincheira, senão será atacado pelos dois lados", cravou um usuário da rede social.

Sem apontar nomes, o deputado respondeu à crítica dizendo que não concorreu em 2020 porque a "oposição" teria se articulado para permitir a vitória do PSB nas urnas. "Disputei duas vezes sozinho, contra Eduardo e Lula. Apenas, ficou claro o jogo combinado na oposição para me inviabilizar, e entregar para o PSB, de novo. Já escolhi o lado, o lado do que é certo. Quem quiser atacar, ataque. Defensor de Renan e Flávio, defende tudo que combato", afirmou.

Comentários

Últimas notícias