INVESTIGAÇÃO

Joice Hasselmann dá nome de dois suspeitos por suposta agressão, diz que um deles é parlamentar e cita ''GSI paralelo’’

Em entrevista coletiva neste domingo (25), a deputada reforçou uma mensagem que recebeu, segundo ela "de uma fonte do GSI''

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 25/07/2021 às 16:19
REPRODUÇÃO DE VÍDEO/SBT
A deputada foi a público para afirmar que acredita ter sido vítima de um atentado dentro do seu apartamento em Brasília no domingo passado (18) - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO/SBT
Leitura:

A deputada federal Joice Hasselmann afirmou neste domingo (25) que já repassou para a polícia o nome de dois suspeitos que poderiam estar envolvidos no caso de agressão, da qual ela acredita ter sido vítima na última semana. De acordo com Hasselmann, um dos suspeitos é um parlamentar. Ela ainda afirma que pedirá apuração da conduta do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI).

Em entrevista coletiva neste domingo (25), a deputada reforçou uma mensagem que recebeu “de uma fonte do GSI'' que, segundo ela, informou de uma “trama” que estava sendo armada contra a deputada.

“A fonte disse que estavam atrás do meu carro para amassar e dizer que eu me envolvi em um acidente. Vou acionar o (general) Heleno para que traga explicações, se existe GSI paralelo. Tenho isso (mensagem da fonte) escrito, com hora, no meu telefone, não foi alguém que simplesmente me falou. Vou querer explicações do GSI. Por que inventar esse acidente de carro, por que esse medo?”, questionou.

Segundo ela, a mensagem da fonte "coloca uma pulga do tamanho de um elefante atrás da orelha”.

Segundo o marido de Joice, que é médico, os traumas indicam que ela pode ter sido agredida ou caído. A deputada disse que a maior esperança de explicação são imagens de câmeras de segurança.

A entrevista coletiva foi convocada justamente para que o marido da deputada explicasse a demora em levar Joice a um hospital, bem como as “ilações” que têm sido feitas contra ele em relação à história. Ele negou qualquer agressão contra a esposa, e assegurou ter prestado socorro em casa, por ser médico, antes de procurar terceiros,

Ainda sobre a suposta agressão, a deputada também declarou ter “receio” de que o Palácio do Planalto faça alguma intervenção nas investigações, “por meio da Polícia Federal”.

Joice informou que já repassou à polícia o nome de dois suspeitos, sendo um deles parlamentar. “Pessoa com bastante influência”. Sem citar nomes, a deputada voltou a afirmar que seus maiores desafetos “estão no governo”.

Sobre o GSI, o próprio General Heleno, que comanda o Gabinete de Segurança, já havia publicado numa rede social o desejo de “pronta recuperação da deputada”, e, em seguida, declarou que a fala da parlamentar poderia ser fruto da pancada sofrida por ela na cabeça.

O que aconteceu com a deputada?

A Polícia Legislativa (Depol) abriu uma investigação para apurar o que ocorreu com a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que relatou ter acordado ensanguentada, domingo passado, em seu apartamento funcional, em Brasília. A parlamentar apresenta ferimentos e fraturas em seu corpo.

Na sexta-feira, 23. Joice prestou depoimento na Polícia Legislativa, que atua no Congresso Nacional. O Depol é o órgão responsável por cuidar da segurança dos parlamentares. "O Depol está ouvindo pessoas e analisando imagens do circuito fechado de TV do prédio em que a deputada reside", diz a nota da Câmara. A investigação está sob sigilo.

Joice afirmou que aguarda a análise imagens de segurança do prédio. Não há, porém, câmeras na parte interna do edifício e nem nas escadas. As únicas imagens disponíveis devem ser das áreas externas.

Comentários

Últimas notícias