Senado

CPI da Covid: relatório final deve ser votado até 29 de setembro

Apesar do acerto, a cúpula da CPI não chegou a um consenso sobre o possível depoimento da advogada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Karina Kufa

Estadão Conteúdo Adige Silva
Estadão Conteúdo
Adige Silva
Publicado em 13/09/2021 às 22:37
Notícia
Jefferson Rudy/Agência Seando
Sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid - FOTO: Jefferson Rudy/Agência Seando
Leitura:

*Com informações do O Globo

O relatório da CPI da Covid, que será redigido pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), deverá ser apresentado até o dia 23 e votado no dia 28 ou 29 de setembro. As datas foram definidas em reunião virtual realizada neste domingo (13).

A cúpula da CPI não chegou a um consenso sobre o possível depoimento da advogada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Karina Kufa. O comparecimento dela divide os senadores. Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI, deseja que ela seja ouvida. Já o presidente da Comissão, Omar Aziz (PSD-AM), tem dúvidas sobre a vinculação dela com os fatpos investigados.

Kufa estava para ser ouvida nesta semana, mas foi substituída por Danilo Trento, diretor da Precisa Medicamentos, que será ouvido nesta quinta (15).

Juristas apontam crimes cometidos por Bolsonaro

A dois meses do encerramento da CPI da Covid, um grupo de juristas coordenado pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior entregará nesta semana um parecer de mais de 200 páginas aos senadores sobre os possíveis crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia de covid-19 no País.

"Foi um trabalho muito exaustivo dos membros da comissão (de juristas)", disse Reale Júnior ao Estadão. O grupo atua desde junho na prestação de consultoria jurídica aos senadores, especialmente ao relator Renan Calheiros (MDB-AL), que se prepara para escrever o texto final a partir das provas coletadas contra a gestão Bolsonaro.

Os juristas compilaram depoimentos, documentos, provas e dados obtidos desde a criação da comissão, em abril, até o mês de agosto, para delinear qual é o arcabouço jurídico que pesa contra os integrantes do governo sob a mira da CPI.

As conclusões serão avaliadas pelo relator da comissão, Renan Calheiros , responsável por apresentar o parecer final da CPI com as conclusões da investigação. Após ter o período inicial prorrogado em julho, a comissão tem até o dia 5 de novembro para concluir os trabalhos. O relator, no entanto, planeja entregar a conclusão ainda neste mês.

Comentários

Últimas notícias