Ex-presidente

Lula se aventura na bateria durante manifestação do Dia do Trabalhador

O ex-presidente também aproveitou a manifestação para se desculpar com policiais; entenda

Cássio Oliveira
Cadastrado por
Cássio Oliveira
Publicado em 02/05/2022 às 9:29 | Atualizado em 02/05/2022 às 9:29
REPRODUÇÃO/TWITTER @LULAOFICIAL
Lula tocando bateria durante ato de 1º de Maio - FOTO: REPRODUÇÃO/TWITTER @LULAOFICIAL
Leitura:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se aventurou a tocar bateria no ato do Dia do Trabalhador, organizado pelas centrais sindicais, na Praça Charles Miller, em São Paulo.

"O nome do festival já tem. Agora falta o nome da banda", diz a legenda de um vídeo publicado nas redes sociais do petista. Também no ato, o vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT) dançou e cantou com o cantor Dexter.

Em discurso no evento, Lula criticou o desemprego e alta da inflação, ao atacar o governo Jair Bolsonaro (PL). "Nós estamos com 19 milhões de pessoas passando fome", afirmou Lula, no ato do Dia do Trabalhador.

 

Manifestação

Lula chegou com mais de três horas de atraso ao ato político. De acordo com o Estadão, o baixo quórum no local durante a manhã fez organizadores se preocuparem e jogarem as manifestações políticas para mais perto do horário previsto para o show de Daniela Mercury.

Em sua fala no ato, Lula se desculpou por uma fala envolvendo policiais na última semana, quando disse que Bolsonaro "não gosta de gente, gosta de policial".

O petista disse que, na verdade, queria dizer que Bolsonaro gosta "de milicianos". Ao falar sobre os policiais, disse que eles "muitas vezes cometem erros, mas muitas vezes salvam muita gente do povo trabalhador". "E nós temos que tratá-los como trabalhador", afirmou o ex-presidente.

"Eu escolhi o mês dos trabalhadores para pedir desculpas aos policiais que por acaso se sentiram ofendidos com o que eu falei", afirmou Lula.

Comentários

Últimas notícias