Redes sociais

Boom de seguidores em perfis bolsonaristas se deu por uso de robôs, aponta Bot Sentinel

Houve aumento repentino de seguidores nas contas de Bolsonaro e seus aliados após anúncio de compra do Twitter por Elon Musk

Cássio Oliveira
Cadastrado por
Cássio Oliveira
Publicado em 02/05/2022 às 12:27 | Atualizado em 02/05/2022 às 12:29
LIONEL BONAVENTURE / AFP
Twitter foi comprado por Elon Musk - FOTO: LIONEL BONAVENTURE / AFP
Leitura:

O engenheiro Christopher Bouzy, fundador do Bot Sentinel, afirmou, em seu perfil no Twitter, novas contas que passaram a seguir o presidente Jair Bolsonaro (PL) não são orgânicas.

Bouzy faz alertas sobre o crescimento da criação dos chamados bots - robôs - e desde 2018 sua plataforma rastreia, com inteligência artificial, contas automatizadas.

"Eu fui questionado se eu acredito que as novas contas seguindo Jair Bolsonaro são orgânicas e a resposta é não. Não acho que dezenas de milhares de brasileiros decidiram criar novas contas ao mesmo tempo e seguir Bolsonaro porque Elon Musk está comprando o Twitter”, disse o fundador do Bot Sentinel.

Christopher Bouzy também observou o mesmo movimento na conta de políticos republicanos dos Estados Unidos, partido do ex-presidente Donald Trump.

Desde o dia 25 de abril, perfis de aliados e familiares do presidente Bolsonaro têm visto suas contas no Twitter ganhar milhares de novos seguidores, subitamente.

Ao analisar cinco contas de aliados de Bolsonaro para checar quantos desses perfis são de pessoas reais, Christopher Bouzy concluiu que 67,4% do total são de contas consideradas não autênticas, ou robôs.

Bouzy analisou as contas da deputada Carla Zambelli (PL-SP), Flávio Bolsonaro, os ex-ministros Damares Alves e Tarcisio Freitas e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Augusto Heleno.

“Esse foi um movimento muito incomum. Todas essas contas foram criadas a partir do dia 25 e não apresentam nenhuma atividade”, afirmou Bouzy. Monitorando contas automatizadas, o Bot Sentinel também se dedica ao combate da desinformação nas redes sociais.

Família Bolsonaro

De acordo com reportagem do Valor Econômico, a Sala de Democracia Digital da Diretoria de Análise de Políticas Públicas (Dapp) analisou a variação do número de seguidores no Twitter de Bolsonaro, do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) entre 24 de março e 27 de abril.

Todos os membros da família Bolsonaro apresentaram picos acentuados de novos seguidores, que superaram em mais de 11 vezes a média, entre 24 de março e 24 de abril. O monitoramento calculou a média de novos seguidores entre 24 de março e 24 de abril e estes números foram comparados com ao pico de entrada de novos seguidores entre 25 e 27 de abril. O presidente Jair Bolsonaro foi o que apresentou o maior pico absoluto, com 63.472 novos seguidores no dia 25 de abril.

O jornalista de dados Marcelo Soares, fundador do Lagom Data, estúdio de inteligência de dados, publicou em seu perfil no Twitter um levantamento que apontou que os milhares de robôs criados em apenas dois dias detectados pelo Bot Sentinel foram criados a partir das 16h do dia 25, horário aproximado da divulgação da compra da rede social por Musk no Brasil.

Comentários

Últimas notícias