Brasil

Protesto por George Floyd em Curitiba termina com depredações e vandalismo

Os manifestantes atearam fogo na bandeira do Brasil e jogaram pedra nas vidraças de agências bancárias

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 01/06/2020 às 23:11
Notícia
REPRODUÇÃO/MBL/TWITTER
O protesto foi realizado na noite desta segunda na cidade de Curitiba - FOTO: REPRODUÇÃO/MBL/TWITTER
Leitura:

Um ato que protestava contra o racismo realizado na cidade de Curitiba, no Estado do Paraná, na noite desta segunda-feira (1), terminou com sinais de vandalismo na capital paranaense. Convocado pelas redes sociais por grupos denominados anti-fascistas (Antifa), o ato afirmava ser "apartidário e pacífico", mas terminou em confronto com a Polícia Militar no Centro Cívico da cidade. 

>> Entenda os protestos que estão ocorrendo nos Estados Unidos

>> Autópsia encomendada por família de George Floyd conclui que ele morreu por asfixia 

Com início na Praça Santos Andrade, área central do município, os "Antifas", após caminharem alguns quilômetros, ao chegarem no Centro Cívico, começaram a jogar pedras em agências bancárias e nas vidraças do edifício onde fica localizado o Fórum Cível. No Palácio Iguaçu, sede do Governo do Estado do Paraná, os manifestantes arrancaram a bandeira do Brasil, que estava hasteada em frente ao prédio e atearam fogo nela.

A manifestação foi reprimida pela Polícia Militar (PMPR) com balas de borracha e bombas de efeito moral. Por esse motivo, as pessoas que participaram do ato começaram a retornar ao ponto inicial.

A PMPR seguiu acompanhando e dispersando as aglomerações. Em nota enviada à Gazeta do Povo, a prefeitura de Curitiba informou que houve registro de danos em algumas estações de transporte público na região do Centro Cívico e pontos de mobiliário urbano na Praça Tiradentes e na Travessa Nestor de Castro. 

Segundo apuração do portal G1, até às 20h30, ninguém havia sido preso. A polícia também não informou uma estimativa do número de pessoas no protesto.

*Com informações da Gazeta do Povo e do G1

Declaração de Sergio Moro

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em sua conta no Twitter afirmou que atos como os que aconteceram na noite desta segunda na capital paranaense são inaceitáveis, por conta da violência e depredação de patrimônios públicos. Moro alertou ainda que, ao quebrarem equipamentos públicos, "em vez de atingirem os objetivos propostos, os manifestantes violentos, mesmo minoritários, comprometem a legitimidade do movimento".

 

 

 


O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias