Xô, gordurinha localizada!

Anneliese Pires
Anneliese Pires
Publicado em 20/01/2015 às 18:01
Leitura:

barriga seca

Novidade comentadíssima no Brasil no quesito corpo bonito, a criolipólise é a mais nova e eficiente arma no combate a gordura localizada. Desenvolvida pelo Dr. Rox Anderson da Universidade de Harvard, que entre outras coisas criou a depilação a laser e o laser fracionado, a técnica tem bases científicas sólidas e resultados concretos.Para desvendar todos os segredos e explicar melhor aos nossos leitores tudo sobre a crio, nós fomos até a clínica Santevie, conhecer este método com a fisioterapeuta dermato funcional, Clarissa Leal.

Na criolipólise as células adiposas (células de gordura) são submetidas a temperatura de menos 10 graus, são congeladas e morrem causando uma inflamação crônica. Sem corte, furo, nem anestesia, a gordura morta vai sendo eliminada pelas vias normais do nosso corpo por aproximadamente de dois a três meses. "Depende do organismo de cada um, não é um resultado imediato, demora a vir. Existem pessoas que fazem alguns protocolos que ajudam a otimizar esse processos como a drenagem linfática", explica Clarissa.

Clarissa Leal explica tudo sobre a criolipólise Clarissa Leal explica tudo sobre a criolipólise

Mas se essa maravilha existe faz tempo, por que só agora falamos dela? Porque a criolipólise, como outros tratamentos, precisa de um prazo para comprovar sua eficácia. E o fato é que ela segue firme entre os especialistas como menina dos olhos no quesito exterminadora das células adiposas. A principal indicação desse tratamento é para pessoas que estão dentro do seu peso normal ou levemente acima, e querem se ver livre daquele culote, pneu ou barriguinha indesejada. Muitas vezes, por mais que se façam exercícios e dieta, a gordura insiste em se manter em algumas áreas. Agora, de nada adianta fazer o procedimento e continuar levando uma vida sedentária. Para a eficácia total é necessário associar o tratamento estético a exercícios físicos e uma dieta equilibrada.

collage crio

O processo é bem simples. A máquina tem três tamanhos de manoplas (ver imagem): pequeno, médio e grande). Dependendo da área a seu utilizada, a fisioterapeuta escolherá a mais adequada e também o número de sessões. "Tratar a região do culote, por exemplo, que é uma gordura mais densa é um pouco mais trabalhoso do que a gordura da barriga", explica Clarissa. O sucesso, segundo ela é a boa indicação e uma boa pega do equipamento já que ele dá uma sugadinha na pele.

Antes de aplicar, é necessária a aplicação uma manta de glicerina para proteger a pele que será resfriada. Uma luz de LED também contribui para que não haja queimadura na epiderme. O paciente fica uma hora com o aparelho conectado à região, que é resfriada constantemente e procedimento não dói nada. Depois desse período, sente-se uma dormência, e a área pode até parecer maior por causa justamente da sucção negativa pelo vácuo. "A área pode ficar um pouco roxa, principalmente se o paciente tiver fragilidade capilar (dos vasos). Também fica uma vermelhidão local porque o gelo e a puxada aumentam a circulação sanguínea. Pode ficar, ainda, em um pouquinho dolorido como se fosse uma pancada", diz.

Há pouquíssimas contraindicações para a criolipólise. "Não indico para pessoas que tenham, por exemplo, muitas enzimas do fígado alteradas ou com a função renal comprometida porque sobrecarregaria o trabalho desses dois órgãos para eliminar essa gordura", adverte. Há pessoas também que têm intolerância ao frio. .

Pós procedimento - Necessariamente, não é preciso nenhum trabalho depois. Mas há alguns procedimentos que podem ajudar. "Pessoas de pele mais clara tem tendência a flacidez maior. Neste caso pode ser usada radio-frequencia a partir dos 45 dias como uma forma de aumentar o colágeno local. Eu não acredito em protocolos engessados, ninguém é igual a ninguém, todo organismo tem uma reação diferente, então é melhor avaliar caso a caso", diz Clarissa.

Outra coisa que ajuda bastante é a drenagem linfática feita a partir do 15º dia depois da crio,duas ou três vezes por semana. A ultracavitação também favorece a saída da gordura. Trata-se se uma ultrassom, com potência e frequência, diferenciadas que gera uma instabilidade na célula favorecendo a saída da gordura que pode ser "gasta" como fonte de energia em exercícios físicos, por exemplo.

Celebridades como Luana Piovani e Thammy Miranda aderiram a técnica

luana crio

luana crio 2

crio thammy

Últimas notícias