Woody Allen abre a 69ª edição de Cannes, mas se diz indiferente ao festival

MIRELLA MARTINS
MIRELLA MARTINS
Publicado em 11/05/2016 às 17:38
Ex-modelo revela romance com Wood Allen quando tinha apenas 16 anos de idade. Foto: Reprodução/Internet
Ex-modelo revela romance com Wood Allen quando tinha apenas 16 anos de idade. Foto: Reprodução/Internet
Leitura:

Dirigir um filme e exibi-lo numa mostra competitiva como a de Cannes é uma honra para qualquer cineasta. Ser reconhecido e compor o júri do evento carrega uma responsabilidade ímpar. Indo contra a corrente, encontramos o diretor norte-americano Woody Allen, que se recusou a inscrever os seus longas no festival.

O renomado diretor  abrirá o festival pela terceira vez nesta quarta-feira (10) com Café Society, mas o seu novo filme não disputará o prêmio do evento, cujo júri técnico é composto pelo diretor australiano George Miller, responsável pela saga Mad Max.

"Um grupo se juntar e julgar o trabalho de outras pessoas é algo que eu jamais faria. É... algo em que não acredito, por isso não quero participar disso", comentou Allen.

Miller, ao lado da atriz Kirsten Duns, o ator dinamarquês Mads Mikkelsen, a atriz e cantora francesa Vanessa Paradis e o diretor húngaro Laszlo Nemes julgarão os 21 filmes inscritos na competição.

"Você poderia questionar como se avalia estes filmes, mas isso com certeza é equilibrado pelo simples prazer de estar aqui assistindo filmes que são novos, assistindo-os com consideração e depois conversando", opinou Miller.

Kirsten, por sua vez, aponta a competição como algo positivo e necessário para o cinema contemporâneo. "Sem festivais de cinema como este não veríamos filmes, e eles não ficariam famosos como 'Filho de Saul' (de Nemes)", afirmou ela. "Precisamos destes festivais para divulgar cineastas... sem isso estaríamos só em filmes arrasa-quarteirão o tempo todo", afirmou a eterna Maria Antonieta.

 

Últimas notícias