Dado Dolabella culpa época em que comia carne por seu passado violento e defende veganismo

Anneliese Pires
Anneliese Pires
Publicado em 23/08/2017 às 18:18
Dado Dolabella (Foto: Reprodução)
Dado Dolabella (Foto: Reprodução)
Leitura:

Após ser preso por não pagar pensão alimentícia para um dos seus filhos, Dado Dolabella publicou um textão no Facebook, na última terça-feira (22), defendendo o veganismo e culpando a época em que comia carne por seu passado violento. Recém-liberado da prisão sem ter pago fiança ou a pensão devida, Dado tem um registro de acusações de agressão, inclusive por sua ex-namorada Luana Piovani que o acusou de lhe dar socos. Em 2014, o ator chegou a ser demitido da Record TV por agredir um funcionário.

No texto, Dolabella atribuiu à carne o seu comportamento agressivo: "Hoje, tô colhendo frutos de um passado recheado de violência que começa no prato de comida. 90% (+/-) do que comia vinha proteína animal. E não venha me dizer que não existe relação!", defendeu.

"Imagina você sendo assassinado sentindo o cheiro do sangue dos seus semelhantes, encurralado, tomando uma facada no pescoço, pendurado de cabeça pra baixo, totalmente consciente e sangrando até o coração não ter mais forças. O q sentiria? Esse é o real gosto da carne. De ódio. Do terror. Da morte", continuou. 

Convertido ao veganismo, filosofia que elimina da alimentação qualquer produto derivado de animais, Dado Dolabella fez um paralelo entre a violência e o ato de comer carne.

"Ingerir sofrimento e exalar amor? A mente não domina o corpo. Muitas vezes os hormônios sentidos e sintéticos dos animais falam mais alto. A carne fica fraca. E o juízo, nulo. Aí, que todo um sistema doente se alimenta. Não é à toa que hospitais e presídios estão superlotados", diz ele. "É preciso olhar menos pro ego, e mais para o eco. A corrupção e a violência começam na alimentação. Fico pensando quantas coisas não seriam diferentes se eu fosse vegano (sangue limpo e alcalino) antes".

Em nenhum momento o ator se referiu a recente prisão. Confira o texto completo:

 

Últimas notícias