Lexa desabafa após fazer show para ditador da Guiné Equatorial

Victor Augusto
Victor Augusto
Publicado em 27/06/2018 às 9:45
Lexa (Imagem: Reprodução)
Lexa (Imagem: Reprodução)
Leitura:

Lexa usou as redes sociais para falar sobre seu último show, organizado por Teodoro Obiang, ditador da Guiné Equatorial, para seu filho, Teodorín. No Instagram, ela explicou para os fãs que não sabia que se tratava de uma apresentação para um governante como Obiang, que coleciona acusações de corrupção e violação de direitos humanos. A artista se apresentou ao lado de Ludmilla, com quem dividiu o voo fretado por Obiang.

LEIA TAMBÉM: Na Rússia, filho de Neymar deseja sorte ao pai

"Quando recebi o convite para cantar na África, não tinha noção de como seria o show, pra quem ou como... Foi tão rápido que nem deu tempo de divulgar. Foi a primeira vez que cantei fora do meu país, vi artistas consagrados, que sou fã, assistindo o meu show", explicou Lexa. Entre os artistas consagrados aos quais ela se referiu estão Akon e Sean Kingston.

Guiné Equatorial e Obiang

O país africano conta com menos de um milhão de habitantes e é governado por Obiang desde 1979, tendo, assim, a ditadura mais longa ainda vigente na África. A economia da Guiné Equatorial vai bem, graças à exploração do petróleo, o que leva o Governo a arrecadar bastante e investir em obras públicas. O povo, porém, pouco vê dessa riqueza e as construções financiadas com verba pública são alvo de diversas denúncias de lavagem de dinheiro.

Teodoro Obiang, ditador da Guiné Equatorial (Imagem: Reprodução) Teodoro Obiang, ditador da Guiné Equatorial (Imagem: Reprodução)

Em 2014, Guiné Equatorial tinha uma renda per capita de $21,056, a mais alta da África. Ainda assim, 39% das crianças com menos de cinco anos sofrem de desnutrição infantil e sete em cada dez habitantes vivem com menos de dois dólares por dia. De acordo com a Forbes, Obiang é o oitavo governante mais rico do mundo, com uma fortuna pessoal avaliada em US$ 600 milhões. Segundo a Human Rights Watch, 42% das crianças não estavam registradas nas escolas primárias em 2016.

Em 2013, a dívida da Guiné Equatorial com o Brasil girava em torno dos R$ 27 milhões. Em 2009, Teodorín Obiang, filho de Teodoro Obiang, teria gasto quase o dobro dessa quantia em um leilão de obras de arte realizado em Paris.

 

Últimas notícias