No Dia Internacional do Rock and Roll, confira os maiores ícones do gênero

Igor Guaraná
Igor Guaraná
Publicado em 13/07/2018 às 8:00
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram
Leitura:

Não importa as nuances que o ritmo obteve ao longo de tantos anos, o Rock and Roll, ou simplesmente Rock'n'Roll, se difundiu por volta dos anos 40 e nunca mais parou. Se expandiu, criou raízes e obteve uma série de subgêneros que você provavelmente conhece e admira (ou nem sabe que conhece, mas admira igual). Hard Rock, Have Metal, Pop Rock, Punk Rock, New Wave, Glam Rock, não importa. Suas múltiplas facetas despertaram milhões de adeptos ao redor do mundo, ovacionando e criando novos sons e ritmos.

Você deve ter seu ícone favorito no meio de tantos subgêneros, de fato. Mas existem expoentes que são impossíveis de não mencionar em qualquer lista que ouse falar sobre essa categoria. Portanto, criamos uma lista com alguns dos maiores ídolos do Rock and Roll na nossa opinião. Claro, são vários, inúmeros, quase impossível classificá-los numa única e tão pequena lista, mas o critério é simples. A revolução, impacto e notoriedade que esses artistas possuem até hoje.

Elvis Presley

Como falar do Rock and Roll sem mencionar o rei do gênero, não é mesmo? Nascido no Mississippi, em 1935, o rapaz loiro (sim, você não leu errado, Elvis era loiro e pintava o cabelo de castanho claro), despontou como a voz mais bela de todos os tempos, segundo a própria crítica da época. Rockabilly, uma das primeiras ramificações do Rock, surgiu com o cantor ainda nos anos 50.

Reprodução/Instagram

Sabia que Elvis nunca compôs nenhuma música que cantava? Além disso, ele nunca saiu dos EUA para uma apresentação. Mesmo assim, sua notoriedade cruzou mares e até hoje é lembrado como precursor do movimento Rock'n'roll. Atuando em vários filmes, muitos deles de qualidade duvidosa, o artista também fez relativo sucesso no cinema. Viva Las Vegas é até hoje considerado um clássico. O que dizer de suas músicas? "Love Me Tender", "Suspicious Minds" e "Always On My Mind" tornaram o que já era mito, em lenda. Estigma de Rockstar ou não, o intérprete morreu cedo, aos 42 anos de idade, deixando uma herança inigualável ao mundo da música.

Freddy Mercury

O tímido africano Farrokh Bulsara, ou melhor, Freddy Mercury foi uma das grandes vozes do Rock and Roll e, ainda hoje, é considerado uma das melhores vozes da música pelo mundo. Qual ícone faria um disco inteiro dedicado aos seus 10 gatos de estimação? Isso mesmo, Freddy! "Mr. Bad Guy", de 1985, é inteiramente uma homenagem aos bichanos que criava. Mas, excentricidades a parte, estrelou vários sucessos a frente da banda Queen. Era o principal compositor do grupo e sucessos como "We Are The Champions", "Bohemian Rhapsody" e "Love of My Life" saíram de sua extraordinária criatividade.

Reprodução/Instagram

Quem não lembra do histórico show do Rock in Rio, em 1985? O Queen foi a primeira banda europeia a realizar shows na América do Sul, acredita? Com um tenor invejável, Freddy inspirou e inspira outros grandes músicos ao redor do globo. Em 1991, aos 45 anos, o intérprete foi vencido pelo vírus da AIDS e deixou praticamente toda sua fortuna para Mary Austin, com quem teve um relacionamento por longos anos.

Janis Joplin

Precisávamos de uma força feminina desse time, não? E nada melhor que falarmos sobre ela, Janis Joplin. Se Elvis era o rei, advinha quem era a rainha desse gênero? Texana, a artista seguia o movimento hippie da época e se considerava uma simples cantora. Além disso, não gostava quando colocavam a música como algo para "ganhar dinheiro". Uma de suas excentricidades foi quando adquiriu um Porsche branco, que logo após o negócio foi pintado de maneira única. As cores emblemáticas do psicodélico veículo foram chamadas de 'History of the Universe', em português 'A História do Universo'.

Reprodução/Instagram

De uma voz singular, Janis não era apenas uma pessoa simples, mas conseguia transmitir toda sua intensidade em cima dos palcos. Com um jeito particular, ela entrava num verdadeiro transe quando o assunto era música. Mas, infelizmente, nem tudo são flores. Aos 27 anos, a cantora morreu vítima de uma overdose. Ficou o legado em músicas antológicas, como "Raise Your Hands", "As Good As You've Been to This World" e "To Love Somebody".

Jimi Hendrix

Apesar de ser um excelente cantor e compositor, Hendrix é considerado até hoje um dos maiores guitarristas de todos os tempos. Influenciando não só músicos de sua época, mas repercutindo em grandes talentos da atualidade. Assim como Joplin, Jimi bebeu na mesma fonte hippie dos anos 60/70, e não dispensava três itens em suas apresentações: pedal wah-wah, fender stratocaster e amplificadores Marshall. Claro, como todo astro do Rock ele também teve suas particularidades. Uma delas foi atear fogo em sua própria guitarra em pelo menos quatro momentos da carreira. Além de tocá-la virada de cabeça para baixo, o artista já executou notas com os dentes.

Reprodução/Instagram

Woodstock, em 1969, foi marcante na sua carreira. O hino norte-americano foi tocado de um modo diferente: ao fundo, sons de bombas caindo faziam uma dura crítica a guerra do Vietnã. O show foi histórico. "Hey Joe", "Little Wing" e "All Along The Watchtower" são algumas canções que precisam ser ouvidas, repetidas e salvas no seu serviço de streaming. Mas, em 1970, aos 27 anos, chega ao fim a carreira do grande Jimi. Morto em Londres, o artista foi vítima de uma overdose de comprimidos para dormir. Uma grande carreira imortalizada em apenas 27 anos de trabalho.

David Bowie

O que falar do camaleão do rock and roll, hein? Metamorfoses. Esta é uma das palavras que poderá definir Bowie. Anos e anos na estrada, o artista sempre levou consigo a transformação. Personagens? E.T.? Mas afinal, o que seria tudo isso? Meus amigos, é autoexplicativo: você precisa sentir a atmosfera teatral e fantasiosa por trás das músicas dele. O inglês David Robert Jones era praticamente um artista completo. Cantava, atuava, produzia, compunha, pintava, desenhava e esculpia; um verdadeiro showman. O que dizer do personagem Major Tom, astronauta fictício criado pelo intérprete? Ou quando sua música é o tema da cobertura da primeira viagem tripulada a lua? É, Bowie conseguiu tudo isso e muito mais.

Reprodução/Instagram

"Space Oddity", "Heroes" e "Starman" são símbolos vivos de um talento inimaginável. Com tantas facetas, impossível não se encantar. Morto em 2016, ele não apenas deixa uma história, mas sim, a marca de uma geração em constante mudança, um refresh.

Rock and Roll para todos

Difícil listar grandes nomes. Infelizmente, a lista dos que não estão presentes é enorme! Rolling Stones, Kiss, Led Zeppelin, Ozzy Osborn. Bandas e artistas que merecem os créditos por desenvolverem algo tão único e impactante que é o Rock and Roll. Barulhentos, rebeldes, pintados, mascarados, teatrais. São características que simbolizam quase 100 anos de história. Continuem assim. Gerações estão por vir e elas merecem essa experiência.

Últimas notícias