Tatá Werneck fala sobre possível adoção: "Sempre quis muitos filhos"

Victor Augusto
Victor Augusto
Publicado em 21/09/2019 às 16:09
Tatá Werneck no ensaio fotográfico que fez sobre sua gravidez (Foto: Reprodução do Instagram @tatawerneck)
Tatá Werneck no ensaio fotográfico que fez sobre sua gravidez (Foto: Reprodução do Instagram @tatawerneck)
Leitura:

Prestes a dar à luz a sua primeira filha, Tatá Werneck concedeu entrevista ao UOL e falou sobre os diversos desafios enfrentados até o momento e, também, sobre o futuro com a família maior. A humorista revelou que sempre quis ser mãe e, ainda, sempre desejou adotar.

"Eu sempre quis ser mãe. Mas nunca achava tempo para que isso acontecesse. Eu não conseguia me imaginar tendo que parar de trabalhar, porque amo muito o que faço e sempre fiz três faculdades ao mesmo tempo, Globo e Multishow etc. Só que Rafa sempre quis ser pai cedo, e ficamos num esquema 'Deixa que eu deixo' depois de Deus Salve o Rei", comentou Tatá Werneck ao UOL.

Tatá Werneck (Imagem: Reprodução)

Os planos, como todos sabem, não seguiram conforme o esperado: "Como tinha endometriose, não imaginei que pudesse engravidar antes de operar. Então, estava tudo programado para pensar nisso só daqui a dois anos. Mas era para ser agora".

Tatá Werneck fala sobre adoção

Ansiosa pelo nascimento da pequena, Tatá Werneck falou sobre as dificuldades enfrentadas na gravidez: "Já comecei com descolamento [de placenta] e tive que ficar dois meses totalmente deitada. Passo mal todos os dias, até hoje. Bem menos do que antes, mas, ainda assim, bastante. Todo o período de gravação do Lady Night foi difícil. Eu me sentia muito mal. Gravava não sei como".

Criticada por continuar trabalhando, a humorista explica: "Só trabalhei porque tinha liberação da minha médica. Quando ela dizia 'repouso', eu cancelava imediatamente. Mas achei muito importante poder falar sobre isso. As mulheres não têm licença por estarem enjoadas. E, muitas vezes, tudo é visto como frescura".

As dificuldades, porém, não fizeram Tatá Werneck abandonar - pelo menos totalmente - a vontade de aumentar ainda mais a família: "Eu sempre quis ter muitos filhos. Mas me liga em novembro que te dou esse retorno. Adotar também sempre quis. Isso é fato".

Últimas notícias