Ritual de cuidados com a pele pode ajudar na manutenção da saúde mental

Anneliese Pires
Anneliese Pires
Publicado em 06/05/2020 às 9:15
pele FOTO:
Leitura:

Quando se fala em cuidados com a pele, unhas e cabelo muitas pessoas pensam em cuidados supérfluos, quase fúteis. Puro engano. O autocuidado não é apenas questão estética, mas de saúde. Inclusive de saúde mental. Acordar e dedicar um tempo à rotina de cuidados com a pele (inclusive em tempos de isolamento social) traz diversos benefícios: além de uma pele saudável, ocupa a mente.

Dra

Carla Vidal, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Norteamericana de Dermatologia comenta:

“Manter uma rotina de cuidados

com a pele, inclusive durante o isolamento social que estamos vivendo, ajuda com certeza na manutenção da saúde mental. Estamos em um período atípico, com todos os nossos compromissos alterados e dentro de casa. Independente de estar sozinho ou com familiares,

existe a quebra da rotina a qual estávamos acostumados. Ao continuar com os cuidados com a pele, estamos - ainda que inconscientemente - nos condicionando a manter parte da nossa antiga normalidade e isso ajuda inclusive em nosso psicológico”.

Entre

os cuidados que não devem ser esquecidos estão a limpeza completa da pele do rosto (com sabonete adequado a cada tipo, seguido de tônico ou adstringente), cuidado (nutrição e tratamento, com ativos que variam de acordo com a necessidade do paciente) e proteção

(sim, protetor solar deve ser usado mesmo dentro de casa). “Muita

gente acha que por o protetor solar pode ser deixado de lado por estarmos dentro de casa, mas a proteção é necessária porque a pele sofre danos com as luzes artificiais também. Especialmente pelas luzes azuis dos computadores e smartphones”,

continua a doutora.

E

não é apenas a questão da manutenção na rotina; o autocuidado - e aqui incluímos também o uso da maquiagem - atua diretamente em casos de depressão e ansiedade.

“Já ouvi relatos de pessoas

que conseguiram melhora significativa em quadros depressivos quando passaram a se arrumar mais e cuidar da autoestima. Para muitos, o fato de ter um ritual - um compromisso consigo - era um motivo para sair da cama pela manhã, ajudando na depressão. Importante

mencionar que o acompanhamento de um profissional (psiquiatra ou psicólogo) é de fundamental importância para casos como este mas a beleza pode,sim, ajudar nesta questão”,

explica Carla.

A

dermatologista dá dicas para quem quer dar um “up” na autoestima e, também, manter a pele bonita e, mais importante, saudável, mesmo dentro de casa:

  • Aplique diariamente o filtro solar, tanto no rosto quanto em áreas expostas (lembre-se: se você está no computador, suas mãos também recebem a luz azul emitida pelas telas);
  • Se usar maquiagem, lembre-se de NÃO dormir com ela;
  • Não descuide da hidratação: beba, pelo menos, 1.5 litros de água por dia;
  • O mesmo cuidado vale para a alimentação: alimentos com alto teor de gordura, como o chocolate por exemplo, pode causar desequilíbrio no organismo, refletindo na saúde da pele;
  • Lave os cabelos todos os dias ou dia sim dia não: se tiver dúvida de qual frequência é a ideal para o seu tipo de cabelo, pergunte ao seu dermatologista;
  • Por estarmos lavando as mãos com mais frequência, é ideal usar um sabonete que não agrida nem resseque tanto a pele; dê preferência aos sabonetes de côco, por exemplo;
  • Não se esqueça de hidratar muito bem as mãos: depois de cada lavagem, finalize com a aplicação do creme hidratante. A combinação álcool gel + sabonete pode causar ressecamento e piorar com quem sofre com peles sensíveis;
  • Atenção à temperatura da água do banho: o ideal é que seja de morna para fria, para não ressecar a pele;
  • Durante o banho, que deve ser diário, use o sabonete apenas no colo, costas, axilas, genitais e pés. 

Leia também:
Massoterapeuta das famosas dá dicas incríveis para desinchar durante a quarentena
Como tingir os cabelos em casa em dias de quarentena
Que tal fazer um cronograma capilar na quarentena?

Últimas notícias