Bolsonaro morto por Lady Gaga? Pernambucano cria animação em que cantora assassina presidente com cloroquina

Igor Guaraná
Igor Guaraná
Publicado em 27/05/2020 às 15:52
Bolsonaro é assassinado por Lady Gaga em animação produzida por publicitário pernambucano. Foto: Reprodução/Instagram
Bolsonaro é assassinado por Lady Gaga em animação produzida por publicitário pernambucano. Foto: Reprodução/Instagram
Leitura:

O publicitário Gibran Gomes ataca novamente! Famoso na internet por suas animações que misturam referências políticas, sociais e cultura pop, o pernambucano resolveu ilustrar uma animação em que Lady Gaga, em sua esperada era Chromatica, assassina o presidente Jair Bolsonaro com um chá de cloroquina, substância comprovadamente ineficaz para o tratamento da Covid-19, mas que o governo persiste em implementar em seu protocolo de combate ao coronavírus no Brasil.

LEIA MAIS > Vic Chameleon, modelo e DJ pernambucana, estampa capa virtual de revista

Disfarçada de primeira-dama, Gaga oferece o chá de cloroquina para o político, que aceita enquanto lê o jornal fictício The Fake Times, com uma matéria, sarcástica, claro, escrita: "O complô mundial para derrubar o presidente do Brasil". No vídeo, ainda aprecem referências ao clipe Paparazzi, da cantora novaiorquina, Donald Trump, o ex-presidente Lula, e até uma participação da ex-secretária especial da Cultura Regina Duarte, apelidada de "Regininha". Assista:

Trabalho com Pabllo Vittar

Em 2019, Gibran foi o responsável por alguns teasers que ajudaram os seguidores a decidirem os rumos do clipe Seu Crime, da Pabllo Vittar. À época, em entrevista para o Social1, ele explicou que o convite chegou de uma forma inusitada, gerando até uma fake news sobre o assunto.

LEIA MAIS > Após largar cocaína, cigarro e álcool, Dinho Ouro Preto afirma que parou de tomar Rivotril após Covid-19

"Fiz um vídeo parodiando uma famosa fanfic [história fictícia desenvolvidas por fãs] que envolvia o ex-presidente Lula e Pabllo Vittar. O vídeo acabou 'viralizando', e a própria Pabllo comentou na publicação, gerando até uma fake news", contou o ilustrador.

Últimas notícias