"Só entendi o que era racismo na adolescência", conta Gilberto Gil

Samantha Oliveira
Samantha Oliveira
Publicado em 06/08/2020 às 7:32
O cantor Gilberto Gil, de 78 anos (Foto: Reprodução/Instagram)
O cantor Gilberto Gil, de 78 anos (Foto: Reprodução/Instagram)
Leitura:

Em uma entrevista com Pedro Bial, o cantor Gilberto Gil falou sobre sua experiência com as questões sociais e raciais. Elas, na verdade, só vieram à tona quando o artista era adolescente, quase adulto, após ir para um colégio de elite.

LEIA TAMBÉM: Filho caçula de Gilberto Gil anuncia que será pai de gêmeos

"Foi no ginásio quando começou um pouco, pois meus pais me mandaram para um colégio da elite", relembra. Gilberto Gil afirma que o número de pessoas negras na instituição era drasticamente menor: de 400 alunos, 10 eram negros.

Na época, o cantor vivia em Ituaçu, na Bahia. "Ali as questões do racismo, da discriminação e do deslocamento social que aquele grupo étnico sofria começaram a surgir". Até então, Gilberto Gil conta que não tinha percebido preconceitos contra ele e sua família. "Não eram exercidos em relação a minha família", declarou.

LEIA TAMBÉM: Gilberto Gil celebra 78 anos com a live “Festa do Gil” e clipe com família e amigos: de Caetano e Chico a Stevie Wonder

O baiano ainda citou Jorge Ben Jor como sua referência para entender ainda mais as questões ligadas ao racismo. "Após isso, toda a questão histórica, a escravidão, as dificuldades raciais, o racismo e o preconceito; todas essas coisas ficaram evidentes para mim", finalizou Gilberto Gil.

Últimas notícias