Com o fim dos humorísticos da Globo, funcionários cogitam mais de 150 demissões; emissora nega

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 18/10/2020 às 12:35
Fernando Caruso como Bolsonaro no
Fernando Caruso como Bolsonaro no "Zorra" - Foto: reprodução
Leitura:

O departamento de Humor da TV Globo passa por uma reformulação, que inclui o fim dos programas "Zorra", "Escolinha do Professor Raimundo", "Fora de Hora" e o quadro "Isso a Globo Não Mostra", que era exibido no "Fantástico". Parece uma limpeza do que foi deixado por Marcius Melhem, nome que estava à frente do departamento e que saiu da emissora em agosto, sob a sombra de, pelo menos, uma acusação de assédio moral, denunciada à empresa por Dani Calabresa.

Mas o fato é que, com a reformulação, funcionários da TV Globo ouvidos pelo colunista do UOL Ricardo Feltrin cogitam entre 150 e 180 demissões. Atores, produtores e redatores estão na conta dos que deverão ser dispensados, entre outros profissionais. Ainda que alguns poucos sejam readmitidos para o novo projeto que a emissora gesta para ocupar as noites de sábado em 2021.

A TV Globo, porém, negou ao colunista que haja plano de demissões: "Não procede de forma alguma que terão essas demissões. Outra informação importante: não há um cargo vazio a ser ocupado no humor, pois o diretor da dramaturgia - semanal, diária e humor - é o Silvio de Abreu, como informamos em agosto". Sobre a última informação, os funcionários creem que Marcelo Adnet ocupará o cargo que foi de Marcius Melhem.

Últimas notícias