Xuxa relembra o dia em que Michael Jackson lhe propôs contrato para gerar filhos e se casarem

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 13/12/2020 às 15:53
Xuxa e Michael Jackson - Foto: reprodução
Xuxa e Michael Jackson - Foto: reprodução
Leitura:

Xuxa deu detalhes de seu encontro com Michael Jackson, no início dos anos 90, em Neverland, o famoso rancho onde vivia o Rei do Pop. Durante uma live com Nany People, a apresentadora disse que MJ demonstrou saber tudo sobre a vida dela ("Sei que você não come bicho, então, a gente preparou uma salada"); soltou elogios ("Nossa, estou tão feliz porque as crianças da América do Sul, da América Latina, estão em ótimas mãos"); e fez afago ("[Ele] botou a mão no coração e disse: 'Oh, Xuxa'. E deu um beijo na minha mão"). Até que, através dos empresários, Michael fez a Xuxa uma proposta.

"Falei: 'Bem, então a gente está indo, já está tarde'. Aí ele: 'OK, mas eles precisam falar uma coisa com você'. E o meu empresário estava com cara de assustado. O empresário dele falou para mim: 'A gente tem uma proposta para você'. Pensei que era proposta de trabalho (...) Ele falou assim: 'A gente tem um contrato que a gente vai dar para o seu agente, para que ele possa estudar com você. A gente gostaria muito que você aceitasse'. Falei: "Mas contrato para fazer o quê?'", indagou Xuxa diante de todo o mistério.

"Ele falou: 'Para carregar os filhos do Michael Jackson no seu ventre, assinar um papel e se casar com ele, ter uma união'. Quando eu ouvi aquilo, passou um monte de coisa na cabeça. Falei a frase mais idiota, que não vou falar aqui. Porque não sabia o que falar na hora (...) Foi uma coisa muito doida. Voltei para casa com a cabeça borbulhando", continuou Xuxa.

"A resposta do meu agente para ele foi: 'Ela sonha em ser mãe, mas ser mãe, não ser alguém para levar só'."

Leia na íntegra:

"Ele apareceu, botou a mão no coração e disse: 'Oh, Xuxa'. E deu um beijo na minha mão. Eu fiquei dura. Eu já conhecia ele, fui ver o show. Já tinha tirado foto com ele, mas como fã. Não assim indo à casa dele. Aí sentamos naquela sala enorme e ele começou a falar comigo que sabia que eu gostava de bichos, que trabalhava para crianças... Ele só falava, só falava. E no que ele estava falando eu quase não prestava atenção. Pensava: 'Caraca, olha onde eu estou'. Só tive pôster na minha vida de uma pessoa, de um artista, e era o dele no meu quarto, quando eu tinha, sei lá, 20 anos (...) Ele falou: 'Vem, vamos jantar. Sei que você não come bicho, então, a gente preparou uma salada'. Ele falou: 'Senta aqui'. Eu sentei. Quebrei o treco do guardanapo, de nervosa. Aí a gente acabou de jantar e ele falou assim: 'Agora vou te levar a um lugar'. Ele começou a me levar para ver os bichos. Depois mostrou o cinema e disse: 'Olha, pipoca sem sal, porque sei que você não gosta com sal'. O cara sabia tudo de mim. Tinham pesquisado (...) Aí começou a tocar os clipes dele. Comecei a chorar, emocionada (...) Ele pegou minha mão, beijou minha mão. Falou: 'Nossa, estou tão feliz porque as crianças da América do Sul, da América Latina, estão em ótimas mãos'. Aí que eu chorei mesmo, parecia desenho animado. Ele era muito gentil, carinhoso. No final, me botou naquele carrinho de golfe e a gente voltou. Aí estavam o empresário dele e o meu empresário da Argentina. Falei: 'Bem, então a gente está indo, já está tarde'. Aí ele: 'OK, mas eles precisam falar uma coisa com você'. E o meu empresário estava com cara de assustado. O empresário dele falou para mim: 'A gente tem uma proposta para você'. Pensei que era proposta de trabalho (...) Ele falou assim: 'A gente tem um contrato que a gente vai dar para o seu agente, para que ele possa estudar com você. A gente gostaria muito que você aceitasse'. Falei: 'Mas contrato para fazer o quê?'. Ele falou: 'Para carregar os filhos do Michael Jackson no seu ventre, assinar um papel e se casar com ele, ter uma união'. Quando eu ouvi aquilo, passou um monte de coisa na cabeça. Falei a frase mais idiota, que não vou falar aqui. Porque não sabia o que falar na hora (...) Foi uma coisa muito doida. Voltei para casa com a cabeça borbulhando. A resposta do meu agente para ele foi: 'Ela sonha em ser mãe, mas ser mãe, não ser alguém para levar só'."

"Se é bom pai, é bom homem, bom marido, bom tudo", diz Xuxa sobre Junno

Na live com Nany People, Xuxa também comentou sobre seu relacionamento com o cantor e ator Junno. Ele se conheceram nos anos 90 e depois de cerca de duas décadas se reencontraram. "Ele deixou o telefone dele, liguei para ele uns três dias depois. E ele já atendeu dizendo assim: 'Posso falar com você depois? Estou com minha filha agora'. Eu falei: 'Pronto, é o cara. Me liberou para ficar com a filha dele, vai botar sempre a família em primeiro lugar. Ele vai entender quando eu botar a Sasha em primeiro lugar'. Ele é ótimo pai", disse Xuxa.

"Acho que as pessoas estão errando. Ficam procurando o cara que é bom na cama. OK, ele é ótimo na cama, mas digo que tem que procurar um cara que é bom pai. Se é bom pai, é bom homem, bom marido, bom tudo. Ele tem um baita de um caráter, é uma pessoa que se emociona, que chora, que canta, que dança, que me faz feliz."

Últimas notícias