"Paguei para ver ao assumir meu amor pela Brunna", diz Ludmilla, que revela ter uma célula religiosa e plástica aos 18: "Para ser aceita"

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 10/01/2021 às 15:41
Ludmilla - Foto: reprodução
Ludmilla - Foto: reprodução
Leitura:

Ludmilla concedeu entrevista ao O Globo, publicada neste domingo (10), em que fala sobre diversos assuntos. Entre eles, ter assumido seu relacionamento com Brunna Gonçalves e realizado uma plástica no nariz aos 18 anos, quando ainda se apresentava como MC Beyoncé. Também contou sobre a sua saída do Instagram, em dezembro, após receber comentários racistas; explicou sobre a célula religiosa que fundou, chamada Big Célula da Ludmilla, e adiantou novidades da carreira.

A cantora de 25 anos, que no próximo domingo (17) estreia no júri do "The Voice+" (TV Globo), edição exclusiva para pessoas com idade acima dos 60 anos, revelou, ainda, que, desde setembro, é sócia-majoritária da própria carreira. Já sobre Anitta, com quem teve uma treta pública em junho do ano passado, disse que não fala mais.

Ludmilla e Brunna Gonçalves

Foi em junho de 2019 quando Ludmilla assumiu seu namoro com Brunna Gonçalves, que era sua bailarina. As duas se casaram há pouco mais de um ano. Na entrevista, a cantora falou sobre o saldo de ter "saído do armário". "Paguei para ver ao assumir meu amor pela Brunna. Perdi algumas coisas porque você sabe o quanto a galera é preconceituosa, mas acabei ganhando outras. E ser a gente mesmo não tem preço."

Célula religiosa

O casamento de Ludmilla com Brunna Gonçalves ocorreu num dos encontros da célula religiosa que a cantora fundou e comanda. Trata-se de um grupo de pessoas que se reúne para realizar atividades como o estudo da Bíblia, entoação de hinos e orações. Ela explicou sobre a Big Célula da Ludmilla:

"Não sou evangélica ou católica. Acredito em Jesus Cristo. Não estou generalizando, mas muitas igrejas acabam expulsando as pessoas por causa de roupas ou por quem elas escolheram amar. Minha célula é para essa gente que não se sente acolhida no templo, mas quer estar próxima de Deus. Todo mundo é bem-vindo, mas não permito celular ou que perturbem meus amigos famosos. São minhas regras."

LEIA TAMBÉM: Ludmilla vai virar cantora gospel? Funkeira explica boatos

Racismo

Em dezembro de 2020, Ludmilla deu um susto nos seguidores ao sumir do Instagram e Twitter. A cantora suspendeu as duas contas temporariamente, após novos comentários racistas que recebeu. Ficou off das redes sociais do dia 18 até a véspera de Natal, 24. Ela relata:

"Foi a gota d’água, sabe? Costumo não me importar, mas imagina você apanhar todos os dias? Uma hora cansa. Dói! É difícil, sim, por isso, precisei desse tempo off-line. Organizei as ideias, me fortaleci e, principalmente, entendi que esse ódio gratuito não é meu e não vai me vencer. Sou ser humano e, às vezes, me sinto esgotada, mas me refaço. É o compromisso que tenho comigo e com o meu público. Comentários racistas me dão nojo. Parece que o mundo está evoluindo, mas ainda tem muita gente atrasada."

Plástica aos 18

Quando fala sobre o "The Voice+", Ludmilla conta que prestará atenção apenas nas vozes dos candidatos. Nem sempre foi assim - quando ainda mais jovem, relata, a aparência também influenciava. "É doloroso falar isso, mas fiz a primeira plástica no nariz, aos 18, para ser aceita. Conseguiam me ferir porque nem eu mesma me achava bonita."

Empresária de si mesma

Sobre ter se tornado sócia-majoritária da própria carreira, Ludmilla fala na entrevista: "Sou minha empresária. Chega uma hora na vida em que sabemos aonde queremos chegar. E tem gente que não consegue nos acompanhar". Ela continua: "Como chefe, sou exigente. Dou meu melhor e espero que todos façam o mesmo. Só não sou a favor de grosseria. Às vezes, preciso dar aquela chamada, mas não é muito necessário. Somos bem alinhados".

Novidades

Quanto ao que vem por aí, Ludmilla adianta o lançamento do DVD "Numanice", gravado no Pão de Açúcar, cartão-postal do Rio de Janeiro, com repertório de pagode que ela lançou já durante a pandemia. O projeto, aliás, vai virar turnê que chegará ao Recife, provavelmente no segundo semestre deste ano, a depender da situação epidemiológica da pandemia.

E há, ainda, uma parceria engatilhada com a rapper americana Cardi B: "Será ainda este ano. Mas temos que sair dessa situação [de pandemia]. Não vou desperdiçar um hino desses, né? É uma canção para o mundo, mas não posso dar spoiler. Estou até estudando inglês".

LEIA TAMBÉM:

MC Rebecca revela que já ficou com Anitta e que não fala com a “madrinha” Ludmilla: “Tudo que eu sou devo a ela”

Últimas notícias