Câmara dos Deputados pede prisão de Danilo Gentili ao STF

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 02/03/2021 às 20:47
Danilo Gentili (Imagem: Reprodução / Instagram)
Danilo Gentili (Imagem: Reprodução / Instagram)
Leitura:

A Câmara dos Deputados pediu a prisão de Danilo Gentili ao Supremo Tribunal Federal (STF) com base na Lei de Segurança Nacional. A ação foi tomada após o apresentador de TV sugerir que a população tomasse atitudes violentas contra os parlamentares que discutiam a proposta de emenda constitucional (PEC) da imunidade parlamentar.

LEIA TAMBÉM > Craque Neto comenta rumores de rixa com Renata Fan

O pedido foi feito pela Procuradoria Parlamentar da Câmara dos Deputados ao ministro Alexandre de Moraes no último sábado (27), com consentimento de líderes partidários e do presidente da Câmara, Arthur Lira (PTB-RJ). O pedido, porém, só foi registrado nesta terça (2) no STF.

O discurso que causou o pedido foi proferido por Danilo Gentili no dia 25 de fevereiro, no Twitter. Na ocasião, ele escreveu: "Eu só acreditaria que esse País tem jeito se a população entrasse agora na câmara e socasse todo deputado que está nesse momento discutindo PEC de imunidade parlamentar". Para a Procuradoria, a fala representa "grave ameaça à ordem pública" e um ataque ao Poder Legislativo.

De acordo com publicação do Valor, os deputados pedem não somente a prisão em flagrante do humorista, como também o bloqueio das suas mensagens no Twitter e, também, sua inclusão como investigado no inquérito sobre atos antidemocráticos que corre no STF.

O pedido acontece pouco depois da prisão do deputado Daniel Silveira, que gravou vídeo incitando ataques antidemocráticos. Ele ameaçou ministros do STF e defendeu o AI-5.

Danilo Gentili fala sobre publicação

No seu Twitter, o humorista comentou sua publicação: "Eu fiz um tuíte que foi alvo de justas críticas por alguns deputados. Quem me segue sabe que sempre defendi as instituições. Aliás, minha briga com bolsonaristas foi justamente pelo fato de eu ser contrário aos pedidos criminosos de fechamento do STF e do Congresso".

Últimas notícias